Bebês

Tire suas dúvidas sobre pneumonia com o Dr. Cláudio Len

Saiba mais sobre a doença

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

doente

Foto: iStock

 

 

 

Anúncio

FECHAR

 

 

 

 

 

 

 

 

Febre, tosse e, principalmente, dificuldade para respirar. Esses são os sintomas mais frequentes da pneumonia, uma infecção nos pulmões que pode ser causada por vírus, bactérias ou fungos. A intensidade da doença varia de leve a muito grave, dependendo de quem está causando a pneumonia e outros detalhes ligados às condições do doente. Como na maior parte das infecções, os grupos que apresentam maior vulnerabilidade são os idosos e as crianças. Por isso a atenção deve ser redobrada sempre que o filho apresentar sintomas como febre alta e persistente, falta de ar, chiado no peito e tosse persistente. A boa notícia é: a maior parte das pneumonias são leves e respondem bem aos tratamentos, desde que diagnosticadas rapidamente, e não costumam deixar sequelas. Por isso o Dr. Claudio Len respondeu as dúvidas mais comuns sobre a doença, veja abaixo:

 Bebê prematuro tem mais probabilidade de ter pneumonia?
Danielle Nogueira, mãe da Alice

Os bebês prematuros, especialmente aqueles que nascem com menos de 30 a 32 semanas de gestação, são mais suscetíveis a infecções, entre elas a pneumonia. Isto ocorre por dois motivos: sistema imunológico dele é imaturo e ele passou algum tempo internado no hospital e, por isso, ficou exposto a bactérias. Felizmente, os prematuros são muito monitorados pelos médicos, que dispõem de ferramentas para surpreender infecções rapidamente.

– Prevenção de pneumonia com nebulização ou algo natural resolve? Quais as melhores formas de prevenção? Você recomenda vacina? 
Emilia Ambrosio, mãe do Bento

A nebulização não previne a infecção no pulmão. O mesmo vale para vitaminas ou remédios naturais. Alguns cuidados simples ajudam a diminuir o contágio entre crianças, como ficar longe de doentes e lavar frequentemente as mãos. Não há vacinas disponíveis contra a pneumonia bacteriana, mas a vacina da gripe pode ajudar a reduzir o número de casos e a intensidade de infecções pulmonares causadas pelo vírus influenza. No caso da bronquiolite, que é uma infecção dos brônquios causada por vírus, mais comum em nenéns com idades entre 2 e 18 meses, há um tratamento preventivo com um medicamento moderno que pode utilizado por prematuros com idade gestacional inferior a 28 semanas ou bebês com algumas doenças congênitas, como as cardiopatias. Além disso, é fundamental é o diagnóstico precoce feito pelo pediatra, com início imediato do tratamento.

– Como diferenciar bronquite de pneumonia? Joice Oldiges, mãe do Nicolas

A bronquite, mais corretamente chamada de asma, é uma doença alérgica desencadeada por fatores externos, como mofo, poeira, acaro ou mudança da umidade do ar. Essa complicação, que atinge mais as pessoas com predisposição genética, pode ir e voltar várias vezes ao longo da vida. Os sintomas são falta de ar, chiado no peito e tosse. Já a pneumonia é causada por bactéria ou vírus e, na maioria dos casos, vem acompanhada de febre alta e persistente e tosse com secreção. Em alguns casos, a asma pode aumentar a secreção nas vias áreas, o que favorece a infecção por uma bactéria com pneumonia. O tratamento da bronquite é com remédios broncodilatadores (que abrem as vias aéreas) e da pneumonia é com antibiótico. 

– Por que alguns bebês não têm febre quando tem pneumonia? Meu filho não teve febre. Raissa Miura, mãe do Lucca

A maioria das crianças e adolescentes com infecção pulmonar têm febre, geralmente alta e persistente. No entanto, entre 5% e 10% das pneumonias são chamadas de atípicas, porque vêm sem febre. Para piorar, nesses casos, a ausculta pulmonar é normal, dificultando o reconhecimento. Se for essa a situação, o diagnóstico é baseado na suspeita clínica e em exames, como a radiografia de tórax.

– Gostaria de saber sobre pneumonia por aspiração. Voltava leite para o nariz do meu filho quando ele mamava, às vezes, e ele ficou com pnumonia e bronquiolite. A médica disse que isso contribuiu.
Jaqueline Guedes, mãe de Henrique, Murilo e Luisa

A pneumonia por aspiração é muito muito rara em crianças. Mas, quando presente, pode ser grave, porque o alimento, rico em bactérias, vai direto para os brônquios e alvéolos, que são frágeis. Felizmente, os mecanismos anti-aspiração pulmonar são muito bem desenvolvidos nas crianças, desde o nascimento. Por outro lado, o refluxo gastroesofágico pode estar associado a microaspirações pulmonares, que resultam em broncoespasmo, o famoso chiado no peito, com tosse persistente, que lembra muito a tosse alérgica. Mas sem gravidade. O diagnóstico, neste caso, é feito por exames de imagem com contraste que detectam o refluxo. Em alguns casos, pode haver melhora dos sintomas respiratórios com tratamento do refluxo.

Leia também:

A sessão de autógrafos bombou no nosso 4° Seminário Internacional Pais&Filhos

Eu fui: 4º Seminário Internacional Pais&Filhos

É sério? Titi sofre sofre racismo na internet

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não
Envie sugestões
×

Envie suas sugestões