Colunistas

Escola, pais e filhos: vamos lá fazer o que será!

Escrevo para a escola, aos pais e aos filhos, com desejos de um ano letivo incrível

(Foto: iStock)

(Foto: iStock)

Fim de férias, volta às aulas, à rotina, à correria, às tarefas escolares, estudos, provas, apresentações, feiras de ciências, festas, agendas, mochilas, lanches e tudo o mais. O que será? Depende de tantas coisas! Hoje falarei de algumas que aprendi nos livros e na experiência como professora, formadora de professores, pesquisadora da educação e mãe. E assim escreverei, para a escola, aos pais e aos filhos, com desejos de um ano letivo incrível, no qual cada um colabore na sua mais perfeita medida.

Prezados Professores e Gestores,

Desejo que deixem claro aos pais e aos alunos qual o papel da escola e o que vocês esperam deles. A parceria de todos é fundamental a todos. Repensem o exagero e a qualidade das tarefas, pois na rotina intensa que os pais estão submetidos, na maioria das vezes, é mais importante que eles brinquem e conversem com os filhos do que foquem em tarefas. Busquem atividades que os alunos consigam resolver por si só e convoquem os pais para esta parceria: desenvolver autonomia, organização e responsabilidade na criança desde muito pequena.

Anúncio

FECHAR

Cuidem ainda do que sempre temi como mãe e que chamo de agenda surpresa. Aquela que você abre  a noite, após um dia exaustivo e encontra um bilhetinho: “Trazer 50 brigadeiros para amanhã!” ou coisa do tipo. E a aula começa às 7!

Também valorizem mais a construção da criança do que a apresentação impecável aos pais. Como mãe, sempre fiquei mais feliz e satisfeita ao ver uma atividade mal cortada e colada, uma maquete mal-feita para os padrões do artista profissional, uma redação com erros e problemas de lógica, mas feita pelas minhas filhas, do que algo reproduzido ou feito por outro. Pois creio que só aprendemos a fazer fazendo e que não se aprende no lugar do outro. E, por fim, acreditem no potencial humano, da equipe pedagógica, dos pais e dos alunos. Sempre.

Queridos Pais e Mães,

Em geral, as crianças passam mais tempo com os professores, amigos, tablets e cuidadores do que com vocês. “É o que temos para hoje!”, diria a minha caçula. Assim, é muito importante escolher bem o que e quem estará se relacionando com o seu filho, pois é fato: o meio no qual ele está inserido, dirá muito dele, do seu comportamento e desenvolvimento. Diga-me com quem andas…

Em relação à escola, quando você leva o seu filho a ela é muito importante que saiba onde ela levará o seu filho. Não o delegue, mas participe, seja parceiro, entenda a escola e caminhe junto. Em relação a cada professor do seu filho, claro que quanto mais desenvolvido ele for, mais ele propiciará desenvolvimentos ao seu filho. Isso vale também a nós, pais. E, lembre-se: se é difícil dar conta de uma criança, imagine várias ao mesmo tempo, com educações e costumes diferentes. Por mais preparado que seja o professor, ele tem diariamente um desafio e tanto. Conheça-o, colabore, valorize-o. E, se algo te desagradar, marque com ele e busque compreender o ocorrido, pois o professor deve saber o por que faz o que faz com o seu filho. Certifique-se. Muitas vezes, algumas atitudes docentes podem ser mal compreendidas, pois a edução hoje já está diferente daquela que formou os pais. Portanto, se tiver dúvida não hesite: converse com o professor. E, com relação ao seu filho, ensine-o a ser autônomo, organizado e reponsável com a escola e com a vida. Não assuma coisas por ele. Não há como desenvolver no lugar da criança. Ela precisa ter a experiência, errar, acertar, se frustrar, se alegrar etc. Faz parte!

Aos filhos,

Desejo que neste ano as suas aprendizagens sejam incríveis e que elas te tragam desenvolvimentos sem fim. Desejo ainda, que você consiga perceber o quanto antes, que o seu desenvolvimento depende tanto das possibilidades do meio, quanto de você. E que para ser bom em alguma coisa é preciso se esforçar. E, para que o esforço não seja uma coisa chata, é preciso motivar-se, assim como acontece com os jogos que vocês tanto gostam e que se esforçam sem perceber. Que na escola consigam fazer o mesmo. E, se sentirem vontade ou necessidade de colar, parem e pensem, pois o que vocês aprendem tem que servir para vocês serem melhores, mais interessantes, para aproveitarem melhor a vida e transformá-la. Se o que aprendem estiver servindo só para fazer a prova, então converse com o professor para que a escola possa ser um lugar incrível para vocês.

Pais, Mães, Professores, Gestores, Crianças, Jovens, Feliz volta às aulas a todos! Que 2018 seja positivamente marcante e inesquecível! Vamos lá fazer a nossa parte com o melhor que podemos ofertar. Vamos lá fazer o ano. Vamos lá fazer o que será.

Leia também:

Seu filho no mar de possibilidade

Aprenda com meu erro

O perigo da má interpretação

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não
Envie sugestões
×

Envie suas sugestões