Criança

11 sacadas para não sofrer na hora de preparar a lancheira

As dicas são da pediatra Maria Cristina Meyer Martins, do Hospital Infantil Seara do Bem

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: iStock)

(Foto: iStock)

A gente sabe como é difícil lidar com a rotina. No começo das aulas você está superanimada e pode até rolar um esforço maior na produção da lancheira das crianças, mas com o passar dos dias parece que aquele ânimo diminui. Dá uma olhada no artigo da pediatra Maria Cristina Meyer Martins, filha de Rosane e José, ela tem ótimas dicas para te ajudar a ser criativa e prática com o lanche dos seus filhos.

HORA DE PREPARAR O LANCHE DA ESCOLA: E AGORA?

Nossos dias estão cada vez mais atribulados e os compromissos parecem consumir todo o tempo que temos. Dentro dessa rotina “maluca” precisamos preparar o lanche dos nossos filhos, pensar em algo saudável e que a criança goste de comer. Muitas vezes, seja por praticidade ou por pura falta de talento e tempo muitos de nós pais, acabamos optando pelo lanche pronto ou então pela compra desse lanche na cantina da escola. Nas rodas de pais é comum ouvir: – “Compro o lanche e mando todo dia: um suco de caixinha, um pacote de bolacha e às vezes uma fruta…mas a fruta ele não come.”

Anúncio

FECHAR

Essa é a realidade da maioria das famílias no Brasil, lanches industrializados, nada balanceados e repletos de “nutrientes” prejudiciais a saúde dos nossos filhos e filhas. A verdade é que os alimentos preferidos (pelo nosso cérebro) são os mais gordurosos, com mais açúcar e com mais sal, e como os supermercados e as cantinas tem como objetivo a venda de alimentos, neles sobram todo os tipos de produtos industrializados empacotados, salgados fritos ou assados com muita gordura e sódio, doces, bolos e refrigerantes. Sabemos que algumas escolas são realmente um exemplo quando se trata dos lanches oferecidos, porém essas infelizmente são a minoria. Geralmente a merenda escolar não é boa nutricionalmente falando, nem saudável, nem nutritiva.

O fato de a escola ter consultoria de uma nutricionista não garante que o lanche será adequado, já que em alguns locais a nutricionista tem que trabalhar com os ingredientes que são oferecidos para que ela monte o cardápio e ainda pensar na venda desses lanches. Isso nos coloca numa cilada, afinal, queremos filhos saudáveis, cheios de vida e bem alimentados, mas na outra ponta temos uma oferta, seja no mercado ou na cantina de um monte de “tranqueiras” chamadas de alimentos que de certa forma facilitam a nossa vida. Essa praticidade momentânea nos trará certamente problemas futuros.

O grande aumento dos índices de sobrepeso e obesidade infantil e os inúmeros casos pediátricos de dislipidemias (aumento dos triglicerídeos e colesterol) e de hipertensão arterial, comprovam isso. Não vai adiantar termos filhos “letrados” e inteligentes, porém nada saudáveis. A principal causa de todas essas doenças é a alimentação moderna, industrializada, artificial, uma verdadeira bomba na nossa saúde. Precisamos lembrar que não basta comer bem em casa, temos que enviar lanches adequados para a escola, afinal, a criança come cinco vezes por semana no ambiente escolar, não é mesmo?

Os pais devem ficar atentos a esses dados e reconhecer que eles próprios são capazes de revertê-los, criando filhos saudáveis de verdade. A atenção dispensada aos pequenos deve começar na alimentação. Para ajudar você nessa tarefa, nossa proposta é organizar a semana de lanches para que se torne fácil, saborosa, prática e muito saudável, sem a necessidade de ser um expert na cozinha. Antes de mais nada é sempre bom ter em mente algumas regrinhas básicas:

1. Prefira sempre lancheiras térmicas e nos dias de maior calor você pode mandar um pequeno recipiente com gelo para garantir o frescor dos alimentos;

2. Limpe bem a lancheira diariamente: pode passar álcool com um papel toalha se não tiver muita sujeira ou lavar mesmo com água e sabão. Essa limpeza evita o acúmulo de restos de comida com consequente proliferação de microorganismos e odores desagradáveis;

3. Envie uma quantidade razoável de alimentos, não em excesso. Lembre-se: é só um lanche entre duas refeições principais;

4. Pergunte o que seu filho o quer comer dentre as opções saudáveis disponíveis, pois isso facilita que ele tenha vontade de comer. Envolver a criança na compra e no preparo do lanche sempre facilita as coisas;

5. Envie mais água que outros líquidos, lembrando que opções para a água são os chás (sem açúcar), água de coco ou sucos naturais, mas a água é sempre melhor;

6. Seja persistente e paciente. As novidades e mudanças nem sempre são aceitas de imediato, então pode ser que seu filho rejeite o lanche novo inicialmente. E se ele decidir ficar sem comer por esse tempo não se preocupe, afinal são apenas 4 horas que ele fica na escola não é? Para tornar o lanche mais atraente e divertido use cortadores de biscoitos e faça sanduíches em formatos divertidos;

7. Prefira frutas “in natura” ao invés dos alimentos industrializados contendo frutas;

8. Envie diariamente alimentos dos três grupos principais: construtores (proteínas), energéticos (carboidratos: não esqueçam que frutas também podem conter
carboidratos) e reguladores (legumes, verduras e frutas);

9. Prepare a maior parte dos alimentos que conseguir em casa;

10. Ao comprar alimentos industrializados leia os rótulos com cuidado: ao escolher pães, biscoitos ou bolos industrializados, lembre-se que na lista de ingredientes o alimento que vem em primeiro lugar é o que está presente em maior quantidade. Não caia na pegadinha dos “integrais”, muitos desses alimentos na verdade contém apenas os grãos adicionados integrais sendo a maioria farinha branca;

11. Se sua vida for muito corrida, organize o lanche no final de semana, vá ao mercado e compre tudo, lave as frutas e deixe tudo pronto, isso facilitará muito a sua rotina na preparação do lanche.

Abaixo temos uma lista de sugestões de lanches de preparo rápido para você ir variando durante a semana e sem gastar muito tempo. Nossa lista foi construída pensando nos alimentos dos três grupos alimentares, servindo de inspiração para você soltar a sua imaginação e estimular novas ideias.

Bolo de caneca (pode utilizar forminhas divertidas ou as clássicas de cupcake: há várias opções para se fazer no microondas (cenoura, chocolate, banana e aveia, aveia e frutas).

Exemplo: bolo de banana de caneca: 2 colheres de sopa de aveia em flocos finos, 1 ovo, 1 colher de cafezinho de fermento de bolo, 1 banana madura amassada, canela a gosto, açúcar opcional ( a banana bem madura dispensa o açúcar). Mistura tudo com o garfo e coloca 2-3 minutos no microondas.

Sanduíches

Fazer pastas ou patês para passar no pão. Exemplos: patê de frango desfiadinho com iogurte natural e os temperos de sua preferência ou patê de atum com
abacate e manjericão. Pode incluir cenoura ralada ou beterraba para dar cor e incrementar o valor nutricional.

Rosca de polvilho (pode congelar)

2 xícaras de polvilho azedo, 1 ovo, 1 colher de sopa de óleo de coco ou outro, ¼ de xícara de água quente, 1 pitada de sal. Misture tudo, acrescentando por último a água quente. Faça roscas e asse no forno pré aquecido 180°C por cerca de 15 minutos.

Tapioca

Pode ter recheio salgado (queijo com tomate e orégano, patês diversos, frango
desfiado, carne moída, requeijão, ovo mexido) ou doce (banana com canela, geleia feita
em casa com frutas sem açúcar).

Wraps

Com verduras, legumes, frango, ovos, queijo ou atum.

Pipoca de microondas

½ xícara chá milho para pipoca, ½ xícara de chá água, sal a gosto, plástico filme. Coloque o milho em um recipiente de vidro e adicione água e sal. Misture bem todos os ingredientes e cubra com plástico filme, faça uns furinhos, e leve ao micro-ondas até estourar todo o milho.

Muffin salgado de legumes, de palmito, de tomate com queijo e orégano, frango

1/2 xícara de farinha de arroz integral (ou farinha de arroz comum ou farinha de trigo integral), 2 ovos inteiros, 1/4 de xícara de leite de arroz (ou leite desnatado), 1 colher de chá de azeite de oliva, 1/4 de colher de chá de fermento, sal a gosto. O recheio você escolhe. Misture todos os ingredientes em um pote e coloque em forminhas de silicone, leve ao forno preaquecido à 180 graus até ficarem firmes e douradinhos. O papel dos pais como educadores na alimentação é justamente oferecer o que é saudável, e na escola a tendência é imitar os amigos inclusive na questão alimentar, então vamos persistir e quem sabe até estimular que outros pais optem por lanches mais saudáveis também.

Leia também:

10 dicas de lanches incríveis para deixar a tarde do seu filho mais nutritiva

Arrumando a lancheira das crianças

Muffin de espinafre com queijo é ideal para o lanche da criançada

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não
Envie sugestões
×

Envie suas sugestões