Criança

Cerca de 15% das crianças com bronquiolite precisam ser internadas

Entenda como prevenir e quais são os processos de tratamento

Jéssica Anjos

Jéssica Anjos ,filha de Adriana e Marcelo

certo

(Foto: iStock)

Ao contrário da bronquite, que se desenvolve em crianças maiores e em adultos, a bronquiolite atinge os bebês de até seis meses de idade. O Dr. José Carlos Fernandes, CRM 59316, pediatra do Hospital da Criança, pai de Vinicius e Juliana, respondeu nossas principais perguntas sobre a bronquiolite.

O que é?

Bronquiolite é uma doença inflamatória e infecciosa que atinge o bronquíolo, uma parte específica do pulmão, através de diferentes tipos de vírus e que surge principalmente em crianças de até 6 meses de idade.

Anúncio

FECHAR

Como essa doença se desenvolve? É possível ter mais de uma vez?

A criança começa esse quadro com um resfriado, secreção nasal, podendo ou não ter febre. Os sintomas vão evoluindo e podem durar de 7 a 10 dias. Ela passa a ter dificuldade de se alimentar, a sentir cansaço, falta de ar e respiração acerelada. Eventualmente, pode ter complicações como broncopneumonia. A bronquiolite poderá se manifestar mais de uma vez por ser uma doença viral e respiratória. Outras causas podem ser a falta do leite materno, nascimento prematuro, bebês com cardiopatia ou baixa imunidade e filhos de pais fumantes ou asmáticos. Crianças que têm um quadro pulmonar grave podem apresentar a doença 3 ou 4 vezes por vírus diferentes.

Existe tratamento?

As crianças que apresentam um caso mais leve podem ficar em casa usando antitérmico quando apresentarem febre, fazer inalação e limpar bem o nariz. Cerca de 15% das crianças com bronquiolite grave precisam ser internadas. Algumas recebem oxigênio diretamente no pulmão com fisioterapia intensa.

Como prevenir?

Existem vacinas para cada tipo de vírus. Nosso sistema de saúde fornece vacianas para crianças com indicação, ou que são prematuras, tem doença cardíaca, doença pulmonar crônica e manifestam baixa imunidade. É importante ressaltar que o leite materno possui anticorpos que protegem a criança. No geral, é necessário ter mais cuidados respiratórios durante o inverno, evitar aglomerações, contato com outros doentes e cuidados higiênicos.

Hospital da Criança

Diretora médica responsável:

Dra. Christina R. C. De Paola (CRM 66041)

Leia também:

Huggies lança fralda para bebês prematuros com menos de 1kg

Segundo pesquisa, crianças que usam aparelhos eletrônicos dormem menos

11 dicas para estimular e manter o cérebro saudável

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não
Envie sugestões
×

Envie suas sugestões