Menino não percebe que foi baleado próximo ao coração durante Ano Novo e continua brincando

Guilherme Carvalho da Silva estava brincando em uma praça próxima de casa em São Vicente, no litoral de São Paulo, quando foi atingido

Resumo da Notícia

  • Um adolescente de 13 anos foi vítima de bala perdida na virada do ano em São Vicente, no litoral de São Paulo;
  • Guilherme Carvalho da Silva não percebeu que havia tomado o tiro, e continuou brincando com os amigos;
  • Somente após sentir uma suposta 'dor de barriga', a mãe do menino se deu conta da gravidade da situação.

A família de Guilherme Carvalho da Silva, de 13 anos, tomou um susto nesta virada de ano. Na madrugada do dia 1º de janeiro, o adolescente foi atingido por uma bala perdida e o projétil ficar alojado próximo ao coração, durante a virada de ano em São Vicente, litoral de São Paulo. Ao G1, a mãe de Guilherme, Priscila Sabino da Silva, contou que o menino não percebeu o tiro e continuou brincando em uma praça, mesmo ferido.

-Publicidade-

“A gente havia acabado de cear. Não demorou meia hora, ele desceu com a mão na ferida, dizendo ‘mãe, estou com dor na barriga’, e perguntei se ele estava correndo. Achei que fosse uma indigestão, porque ele tinha acabado de comer e correu. Massageei um pouco a barriga dele, e ele reclamando de dor”, explica Priscila.

Mesmo após os cuidados da mãe, Guilherme continuou reclamando de dor. Priscila resolveu examinar melhor a barriga, e quando levantou a camisa do filho, percebeu que tinha um “furo” na barriga, e um pouco de sangue. Foi neste momento que a manicure percebeu que poderia ser um ferimento causado por uma bala, e então levou o filho às pressas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) mais próxima.

Guilherme não percebeu que havia sido atingido por bala perdida
Guilherme não percebeu que havia sido atingido por bala perdida (Foto: Reprodução/G1)

No local, foi constatado que, de fato, o ferimento foi feito por uma arma de fogo. Após receber os primeiros atendimentos na UPA, foi encaminhado a um hospital de Santos. O menino passou por uma cirurgia e foi avaliado por um especialista. Guilherme continua internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas passa bem, conforme relata a mãe.

Priscila agradece o cuidado dos médicos, e desabafa sobre o sentimento de impotência ao ver o filho ferido, sem poder fazer nada. “Ele suportou a dor sem saber que era uma arma de fogo. Graças a Deus, o coração dele está em perfeito estado, não teve nenhum ferimento [no coração], e não vai precisar retirar a bala. Fiquei em estado de choque, é uma sensação inexplicável”, finaliza.