Bebê brasileira que nasceu com 7kg pode ser uma das maiores do mundo

O caso aconteceu no Pará, onde Estéfany Araújo Evangelista nasceu no último dia 15 de novembro, filha de Francilene do Espírito Santo Araújo e Paulo César Santana Evangelista

Resumo da Notícia

  • O bebê de 7 kg que nasceu no Pará pode ser considerado um dos maiores do mundo!
  • Estéfany Araújo Evangelista nasceu no último dia 15 de novembro e é filha de Francilene do Espírito Santo Araújo e Paulo César Santana Evangelista
  • Ela é a primeira filha do casal

É recorde! A bebê que nasceu com 7 kg e 61 centímetros no Pará poderá ser considerada a maior do mundo! Estéfany Araújo Evangelista nasceu no último dia 15 de novembro e é filha de Francilene do Espírito Santo Araújo e Paulo César Santana Evangelista.

-Publicidade-

De acordo com informações de uma reportagem da Band, Estéfany possui um tamanho tão incomum que, em breve, deve entrar para o recorde como um dos dez maiores bebês da história! Pelo menos, no hospital e na cidade em que ela nasceu, já lidera o ranking!

Entenda o caso

Uma mãe deu à luz um bebê de 7 kg no estado do Pará. É isso mesmo! Estéfany Araújo Evangelista nasceu no último dia 15 de novembro e é filha de Francilene do Espírito Santo Araújo e Paulo César Santana Evangelista.

O casal comemorou a chegada da primeira filha no na maternidade da Fundação Santa Casa do Pará pesando. A criança nasceu tão grande que, na história do hospital, já se destaca como o maior recém-nascido de todos.

A bebê ainda não possui previsão de alta, e está sendo acompanhada de perto por médicos e especialistas por causa de seu tamanho e peso. Além disso, já é um dos bebês que possui a maior altura e peso registrados em todo o país.

Estéfany é a primeira filha do casal!
Estéfany é a primeira filha do casal! (Foto: Reprodução/ Arquivo Pessoal/ Agência Pará)

Para Francilene, em conversa com o portal Agência Pará, foi a alimentação que fez com que a bebê nascesse tão grande. “A médica disse que a minha filha precisa ficar mais um pouco aqui por causa que nasceu muito grande. Lá em casa, souberam que ela é grandona pelas fotos do celular”.

Além de Francilene, a médica Olívia Mota também se pronunciou sobre a recuperação da bebê. “Ela é uma bebê muito fofa, grande e linda. Como ela foge do nosso padrão de tamanho de recém-nascido, a princípio ela foi acomodada em um berço aquecido, pois não coube dentro do isolete (pequeno berço para crianças internadas em UTIs e UCIs) que a gente normalmente usa. Para ficar mais segura e confortável, a transferimos para uma cama pediátrica. Ela é o xodó de toda a equipe”.