Bebês

Bebê conforto: passo a passo para instalar no carro com segurança e sem neura

Veja com qual idade seu filho precisa mudar para a cadeirinha

Nathália Martins

Nathália Martins ,Filha de Sueli e Josias

(Foto: iStock)

(Foto: iStock)

Bebê conforto no carro é sinônimo de segurança. Vamos sempre bater na tecla de que isso é prioridade nas viagens em família. Uma das principais dúvidas é sobre a idade máxima que a criança pode ficar no bebê conforto, ou seja, quando precisa ir para a cadeirinha. Nós te damos a resposta: de 0 aos 13 kg seu filho precisa ficar no bebê conforto. Pesquisamos tabelas de peso e idade e a média é que uma criança de 13 quilos tenha entre 1 e 2 anos, mas isso varia bastante.

E para você não ter dúvidas na hora de instalar o produto conversamos com Diego Spino, gerente de marketing da Dorel Juvenile, que é proprietária das marcas Maxi-Cosi, Quinny, Infanti, Safety 1st e  Cosco, além de Voyage, Baby Art e Tiny Love, e pai de Nina, Iara e Jorge, e dividimos suas orientações em 7 itens.

Quando ir para a cadeirinha?

Para complementar existe uma norma que é responsável por classificar os produtos destinados às crianças por peso para aumentar a segurança. De acordo com as regras, o bebê conforto é indicado para aqueles que pesam de 0 a 13kg e a cadeirinha é feita para os de 9 a 18kg. Você pode perceber que existe um cruzamento de peso entre as normas sobre a cadeirinha e o bebê conforto, por isso, quem tem que prestar atenção nesses detalhes é você. Se o seu filho tem entre 9 a 13kg, ele pode ficar no bebê conforto ou na cadeirinha, depende da estrutura corporal da criança.

“Leve em consideração a altura, pois a metade da cabeça da criança não pode ficar para fora do bebê conforto e os pés não podem ficar muito encolhidos. Mas lembre-se, os fabricantes recomendam que os pais deixem a criança de costas o maior tempo possível”, finaliza Diego.

Posição correta

O bebê conforto pode ir no banco da frente apenas em casos excepcionais, na maioria deles o recomendável é que seja no banco traseiro. Mas caso você tenha uma caminhonete, por exemplo, se enquadra na exceção: “Nessa circunstância, os pais podem usá-lo no banco da frente, mas de costas para o movimento, sempre”. Porém nunca coloque o bebê conforto de frente, é sempre de costas. “A razão disso é porque ele é desenvolvido para crianças menores, andando na posição correta as costas e o pescoço ficam mais protegidos em caso de algum impacto”, explicou Diego.

Principais regras

Ficou claro que o bebê conforto tem que ficar de costas, né? Essa é uma regra que precisa ser obrigatoriamente seguida. Mas existem outras especificações superimportantes na hora de usar esse produto.

Uma coisa que você talvez não saiba é que, se o seu carro possui um airbag que possa atingir o bebê conforto, ele precisa ser desligado. “Em caso de algum acidente, se ele inflar pode impactar o produto e machucar muito a criança”, apontou.

Fora isso, vale lembrar que você deve usá-lo sempre com o cinto de três pontos. Um conselho de Diego é que caso seu carro seja antigo e não possua esse modelo, você precisa trocar o cinto na concessionária. O mesmo serve para cintos curtos, que geralmente são os padrões dos carros novos e devem ser trocados por outros mais longos.

O uso do Isofix no carro ainda não é obrigatório, mas desde 31 de janeiro de 2018, todos os novos modelos fabricados este ano precisam ter o dispositivo de segurança. O objetivo é que em janeiro de 2020, todos os modelos zero quilômetros também tenham.

Modelo ideal

A estrutura dos produtos costuma ser similar, a dica do Diego é que você confira o desempenho do produto nos testes de segurança para poder escolher o melhor para o seu filho.

Também é importante pegar o bebê conforto que atenda suas necessidades, ou seja, se você quer um que também sirva como carrinho, vá atrás desse modelo, e por aí vai. “O ideal é que ele atenda essas três categorias: necessidades de locomoção, uso diário e conforto. Mas é obrigatório que tenha o selo Inmetro, que só existe para produtos comprados no Brasil. Por isso, não compre o bebê conforto ou cadeirinha fora do país”, informou o gerente de marketing.

Viagens

Nós já compartilhamos o caso de uma recém-nascida que, após ficar muito tempo viajando no carro, teve uma convulsão. No final da história ficou tudo bem, mas o episódio serviu de alerta para muitas mães. Então, resolvemos reforçar o assunto: existe tempo limite para viagens de carro com o bebê conforto, sim! “A recomendação é parar de duas em duas horas por 15 minutos e retirar a criança para que ela se movimente”, disse Diego.

Em caso de acidentes

O produto só funciona se estiver instalado da maneira correta. Lembre-se de conferir o manual e seguir as regras básicas para o uso do bebê conforto. “Se usado da maneira certa, ele mantém a criança em uma posição mais protegida e, em caso de um acidente, absorve grande parte do impacto, evitando que esse esforço seja transmitido para o corpo do seu filho”, explicou.

Diego ainda comentou sobre algo que vale ser ressaltado, o impacto lateral em casos de acidentes: “Tem alguns modelos que possuem recursos para trabalhar melhor em caso de batidas laterais no carro embora este quesito ainda não seja obrigatório na norma brasileira”. Quando for ver o desempenho do bebê conforto nos testes de segurança, fique de olho nos resultados relacionados a impacto lateral.

Multa

No Brasil, é obrigatório que a criança seja transportada no bebê conforto ou na cadeirinha, não tem conversa! Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, caso você não siga essa lei, comete uma infração gravíssima, e terá uma multa no valor de R$ 293,47 e retenção do veículo até que isso seja corrigido.

Leia também:

Segurança sempre! Risco de morte de criança sem cadeirinha é de 75% em acidentes

Cadeirinha do carro: 4 erros mais comuns na hora de usar

Fique ligado: multa para quem transporta criança sem cadeirinha aumenta