Bebê de 1 ano morre após engolir bateria em forma de botão

Os componentes químicos da bateria deixaram o sangue de Hughie McMahon ácido e também perfuraram seu coração

Resumo da Notícia

  • Bebê de 1 ano morre após engolir bateria em forma de botão;
  • Os componentes químicos da bateria deixaram o sangue de Hughie McMahon ácido e também perfuraram seu coração;
  • Depois da perda do filho, os pais de Hughie realizam um abaixo-assinado para abolir baterias em forma de botão

Um bebê de apenas um ano de idade morreu depois de engolir uma bateria em forma de botão. Hughie McMahon, sofreu danos terríveis nos órgãos após a célula de energia ficar alojada em sua garganta.

-Publicidade-

Os pais da criança, Christine McDonald, 32, e o pai Hugh McMahon, 29, contaram ao The Sun que não perceberam o que estava acontecendo até escutarem um chiado incomum em seu peito, e notarem que Hughie estava com dificuldades para dormir.

No dia 24 de dezembro, enquanto Christine e Hugh tomavam um chocolate quente natalino ao lado do filho, o casal reparou um som estranho vindo do peito do bebê. Preocupados, os pais de Hughie ligaram para uma ambulância socorrê-los.

Hughie sofreu danos irreparáveis nos órgãos depois de engolir uma bateria
Hughie sofreu danos irreparáveis nos órgãos depois de engolir uma bateria (Foto: Reprodução/The Sun)

Ainda sem saber o que havia acontecido com o bebê, Christine relembra a angústia de esperar por notícias e a impotência de não poder fazer nada pelo filho. Na ala de emergência, a mãe conta que Highies perdeu muito sangue e foi levado às pressas para realizar uma cirurgia. Lá, descobriram que o menino havia engolido a bateria de um urso de pelúcia.

“Seu fígado e rins foram danificados, seus pulmões entraram em colapso e seu coração estava inflamado. A bateria se alojou em seu esôfago e abriu um buraco em seu coração. Eles só tinham visto algo parecido uma vez antes. O cirurgião disse que se meu filho sobrevivesse, ele estaria apenas existindo. Nada mais”, recorda Christine.

Decisão difícil

Por dois dias, o casal assistiu luta de Hughie pela vida no hospital. Refletindo sobre a opinião médica, os pais decidiram desligar os equipamentos que mantinham o bebê respirando depois que notaram que não havia mais nada que pudessem fazer.

“É um inferno. Senti meu filho partir. Não há palavras neste planeta para descrever tanta dor”, lamenta a mãe.