Bebê diagnosticado com má-formação na barriga da mãe faz cirurgia no Espírito Santo e recebe alta

Heitor nasceu com onfalocele, condição que faz com que a parede abdominal não se feche completamente e os órgãos fiquem para fora; a descoberta foi dada na Bélgica

Resumo da Notícia

  • Bebê foi diagnosticado com onfalocele, má-formação dada em seu nascimento
  • Após correr contra o tempo da Europa até a América do Sul, menino consegue alta

Nesta quinta-feira, 14, o bebê Heitor e sua família ganharam um novo rumo de vida. O menino de três meses foi diagnosticado com uma má-formação quando ainda estava no ventre da mãe e deixou o hospital estadual Dr. Jayme Santos Neves, na Serra, localizada na Grande Vitória/ES, onde passou por uma cirurgia para corrigir o problema.

-Publicidade-
Kamila Garajau segurando o filho Heitor, o qual nasceu com má-formação e foi curado (Foto: Reprodução/TV Gazeta)

Heitor é o terceiro filho de Kamila Karajau, residente da cidade de Bruxelas, na Bélgica. Foi no país europeu que a mulher descobriu que o filho era portador de onfalocele. Ao descobrir o problema de Heitor, a mãe foi orientada a interromper sua gestação após ouvir que as chances de sobrevivência do bebê eram quase nulas; entretanto, decidida a ter a criança, Kamila e a família voltaram para o Brasil.

“A solução deles era sempre batendo na tecla de interromper, do porquê eu queria ter. Eu falei: porque é meu filho, eu amo meu filho e vou lutar pela vida dele”, desabafou Kamila.

De início, Kamila – a qual é capixaba – achou que teria que ir para São Paulo tratar o problema do filho, mas acabou descobrindo que este poderia ser resolvido em sua terra natal. Em um hospital estadual, localizado ainda na Serra/ES, Heitor foi operado e ficou hospitalizado por três meses após seu nascimento no dia 5 de abril.

Segundo a pediatra que acabou acompanhando o mais novo, Cynthia Fernandes, o ambiente de saúde andou recebendo casos iguais aos do menino e estes também obtiveram sucesso para ter uma vida normal após a operação. Depois de receber a alta, a família voltará para a Bélgica com a sensação de um coração limpo e feliz: A gente sempre busca o melhor para os filhos, principalmente para esse pequeno guerreiro. E para os meus outros dois também, que não podem ser esquecidos nunca e que me ajudaram muito”, comentou a mãe cheia de emoções.