Bebê encontrada com cordão umbilical embaixo de árvore deixa hospital em Goiânia

A menina foi encontrada por uma moradora da região e levada ao Hospital Materno Infantil por autoridades locais, onde ficou internada por 11 dias.

Resumo da Notícia

  • Uma bebê foi encontrada ainda com cordão umbilical embaixo de uma árvore em Goiânia
  • A menina foi vista por uma moradora a caminho do trabalho, que percebeu o choro da recém-nascida
  • Ela ficou 11 dias internada no Hospital Materno Infantil, mas já recebeu alta
  • Agora, a bebê será levada para um abrigo pelo conselho tutelar

Uma bebê foi encontrada, ainda com cordão umbilical, embaixo de uma árvore em Goiânia. Após 11 dias internada no Hospital Materno Infantil, a menina recebeu alta no último domingo, 1 de agosto, e será levada para um lar adotivo pelo conselho tutelar.

-Publicidade-

A recém-nascida foi encontrada no bairro Jardins do Cerrado I, em Goiânia, por uma moradora que ia para o trabalho de manhã. Segundo ela, foi possível identificar o choro da bebê – e ela estava sem roupas, com cordão umbilical e vestígios de placenta no local.

A menina recebeu alta (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera/ G1)

“Uma moça a encontrou enquanto ia para o serviço, a pé. A gente foi lá, o bebê estava bem gelado, colocamos na viatura e ligamos o aquecedor”, contou o oficial responsável pelo resgate, ao G1.

A madrugada na qual a menina foi abandonada marcou 9ºC em Goiânia e, segundo os médicos que atenderam a vítima no hospital, ela não aguentaria mais algumas horas no frio intenso. “Estava com hipotermia já”, conta o oficial. “É uma menina linda. Uma criança que com certeza vai superar toda essa dificuldade e vai ser uma pessoa de bem”, desabafou ainda o conselheiro tutelar Pedro Lima, também ao portal G1.

A polícia suspeita que a mãe da bebê seja usuária de drogas ou moradora de rua. As câmeras de segurança de locais próximos à praça em que aconteceu ao abandono registraram ainda mais duas pessoas com a mulher. “Agora ela será acolhida e vai ficar à disposição da Justiça. Com 30 dias, se não aparecer nenhum familiar, ela vai entrar na fila de adoção”, contou ainda Pedro.