Bebê engole pingente de chaveiro e mãe deixa alerta sobre sufocação

Uma mulher australiana resolveu alertar outros pais sobre o perigo de asfixia, principalmente por objetos pequenos deixados nas mãos de crianças sem supervisão – que pode, inclusive, ser letal

Resumo da Notícia

  • Uma mãe resolveu alertar outros pais sobre o perigo de asfixia, principalmente por objetos pequenos deixados nas mãos de crianças sem supervisão
  • Ela fez uma publicação nas redes sociais da Tiny Hearts Education sobre situação que enfrentou com a filha bebê
  • A menina engoliu chaveiro que havia sido deixado na cozinha e por sorte, ao ser levada ao hospital, conseguiram remover o objeto a tempo

Uma mãe resolveu alertar outros pais sobre o perigo de asfixia, principalmente por objetos pequenos deixados nas mãos de crianças sem supervisão – podendo ser letal. Ela fez uma publicação nas redes sociais da Tiny Hearts Education, uma organização que atua na prevenção de saúde e segurança infantil na Austrália, que a filha estava brincando na cozinha quando gritou e, de repente, começou a vomitar.

-Publicidade-
(Foto: Reprodução/ Tiny Hearts Education)

Depois de ser levada correndo para o hospital, um raio-X mostrou o motivo da angústia. A bebê havia engolido o pingente redondo de um chaveiro que tinha caído. Os médicos, por sua vez, tiveram que realizar um pequeno procedimento para remover o objeto. “Assim que vi o raio-X, soube o que era. Eu disse à minha filha mais velha para jogá-lo fora no dia anterior, porque ele tinha caído das minhas chaves e ela estava brincando com ele. Não sabia que ela o tinha deixado ele na cozinha”, comentou a mulher.

(Foto: Reprodução/ Tiny Hearts Education)

Com 4.676 curtidas desde que foi publicado, na última quarta-feira, dia 27 de maio. “As uvas são um medo meu com as crianças. Eles têm cinco anos e eu ainda as corto”, comentou outra mãe. “Que sorte, este poderia ter sido um resultado muito diferente”, apontou outra. “Oh meu Deus. Eu tenho um nas minhas chaves. Estarei atenta a isso agora! Obrigada por compartilhar e estou tão feliz que essa linda garota esteja bem”, concluiu mais uma.

Sufocação em bebês: prevenção e dicas

Quando se tem criança pequena em casa, é superimportante redobrar os cuidados para prevenir acidentes domésticos. A sufocação, por exemplo, é responsável por 77% das mortes em bebês menores de um ano de idade, sendo a terceira mais comum no Brasil. Mas, felizmente, é possível mudar esse cenário e fazer com que essa ação seja evitada.

A sufocação é a obstrução das vias aéreas, que acontece por contra de objetos macios. De acordo com Vania Schoemberner, Gerente Executiva da ONG Criança Segura e mãe do Pedro, é essencial evitar as situações, principalmente para os bebês, pois eles ainda não possuem o controle do pescoço e da cabeça. “Temos que observar todos os objetos macios que podem oferecer risco”, alerta.

  • Quais são as ocasiões em que o bebê mais corre risco de sufocar?

As situações mais comuns em que o sufocamento pode acontecer são, principalmente, na hora da alimentação e do sono. Mas, é importante lembrar que o problema também ocorre caso o bebê tenha em mãos objetos que possam cobrir as vias aéreas. “Evite ao máximo colocar o bebê para dormir sozinho na cama dos pais, sofás e lugares improvisados. Isso pode não só ocasionar a sufocação, mas também quedas, que é uma situação muito grave para os bebês”, comenta a Gerente Executiva da ONG Criança Segura. Veja como prevenir acidentes domésticos.

  • O que fazer em casos de sufocação

Se mesmo seguindo todos os passos para prevenir a sufocação do bebê e ela acontecer, Vania explica que é essencial que a família esteja preparada para a  situação. “Até você chamar o serviço de emergência, pode ser tarde demais. O bebê pode morrer sufocado muito rápido, porque é silencioso”, alerta. Confira um vídeo de quais manobras fazer em casos como este: