Bebê recém-nascida é resgatada flutuando em caixa no rio Ganges, na Índia

A polícia local, após o ocorrido abriu uma investigação e relatou que, a caixa onde a menina estava sendo abrigada, era decorada com tecidos vermelhos e imagens de deuses hindus

Resumo da Notícia

  • Uma bebê recém-nascida de 21 dias foi resgatada flutuando em uma caixa no rio Ganges, localizado na Índia
  • A polícia local, após o ocorrido, abriu uma investigação e ainda não sabem o motivo do abandono
  • Em relato as autoridades disseram que a caixa onde a menina estava sendo abrigada, era decorada com tecidos vermelhos e imagens de deuses hindus

Uma bebê recém-nascida de 21 dias foi resgatada flutuando em uma caixa no rio Ganges, localizado na Índia. A polícia local, após o ocorrido, abriu uma investigação e relatou que a caixa onde a menina estava sendo abrigada, era decorada com tecidos vermelhos e imagens de deuses hindus.

-Publicidade-

Não só, mas também havia a descrição da data de nascimento, hora, horóscopo e nome da bebê: Ganga – a palavra em hindu para o rio sagrado. O resgate aconteceu semana passada, quando um barqueiro a encontrou. Atualmente, segundo o G1, ela está em segurança em um hospital da região e com um bom estado de saúde, apesar de não se saber quanto tempo a bebê passou flutuando.

Bebê recém-nascida é resgatada flutuando em caixa no rio Ganges, na Índia (Foto: Reprodução/ G1)

“O barqueiro ouviu um choro que saía da caixa e encontrou a bebê”,  disse o policial O. P. Singh à agência de notícias France Presse. A polícia ainda não apontou causas pelas quais a bebê pode ter sido abandonada, mas há hipóteses de que seja pelo preconceito, tendo em vista que o nascimento de uma menina em uma família pobre pode não ser algo bem aceito, já que é visto pela sociedade indiana como um “fardo econômico”.

Segundo a rede britânica BBC, o aborto ilegal de fetos do sexo feminino e o abandono de recém nascidas é uma prática comum nas áreas mais rurais do país.

O governo regional já anunciou que irá arcar com os custos para a criação da pequena Ganga – e o barqueiro que a encontrou foi presenteado com uma casa “por seu exemplo de humanidade”.