Bebê sobrevive após passar por transplante de coração e família comemora milagre

Ruby June Cotter, de um ano de idade, sobreviveu a um transplante de coração provavelmente precisará de mais dois ao longo da vida, devido uma doença rara com a qual nasceu

Resumo da Notícia

  • Ruby recebeu um novo coração quando tinha apenas seis meses de idade, após nascer com uma doença encontrada em apenas 1% dos bebês
  • A bebê de um ano de idade, de Long Island, Nova York, ganhou um novo coração no Natal em dezembro do ano passado
  • O problema cardíaco passou despercebido até ela completar três meses de idade, e Brian disse que notou que os braços e pernas estavam 'gelados' e ela tinha febre baixa

Um bebê milagroso que já sobreviveu a um transplante de coração provavelmente precisará de mais dois ao longo da vida, devido uma doença rara com a qual nasceu. Ruby June Cotter, de um ano de idade, de Long Island, Nova York, ganhou um novo coração no Natal em dezembro do ano passado, mas é apenas um de quatro órgãos vitais que os médicos acham que ela vai precisar de um transplante, para viver muito e feliz.

-Publicidade-
Ruby Cotter, de um ano, foi submetida a uma operação de transplante de coração de dez horas em dezembro de 2019 (Foto: Reprodução / Instagram @Metro.co.uk)

Ruby recebeu um novo coração quando tinha apenas seis meses de idade, após nascer com uma doença encontrada em apenas 1% dos bebês, que deixou o órgão fraco e incapaz de fornecer sangue suficiente para o corpo. Mas depois de sobreviver a um transplante com risco de vida e lutar para recuperar a infância, Ruby deverá passar pelo processo mais duas vezes enquanto cresce devido à curta vida média de 20 anos dos corações de doadores.

O pai dela, Brian, 36, um funcionário da força aérea dos EUA, disse ao Metro: “Ver sua filha passar por algo assim é horrível. Vê-la entrar para a operação era o que mais temíamos como pais”, desabafou. “Ela tem sido tão forte e nos surpreendeu com o seu desempenho”, ressaltou.

-Publicidade-
Ruby nasceu com cardiomiopatia dilatada, uma condição que causa enfraquecimento do coração (Foto: Reprodução / Instagram @Metro.co.uk)

O pai ainda falou sobre a reação após saber que a filha precisaria de cirurgia. “Sabíamos que ela poderia ter morrido na mesa de operação e foi assustador. Eu e minha esposa choramos de felicidade quando nos disseram que ela estava bem depois de dez horas de cirurgia”, disse.

Ashley, de 29 anos deu à luz em parto normal, após uma gravidez aparentemente saudável, Ruby nasceu em 12 de junho do ano passado. Mas, sem o conhecimento dos pais e enfermeiras da maternidade, Ruby estava sofrendo de problemas cardíacos o tempo todo.

Ashley e Brian tiveram parar de trabalhar vários meses para ficar com Ruby (Foto: Reprodução / Instagram @Metro.co.uk)

O problema cardíaco passou despercebido até ela completar três meses de idade, e Brian disse que notou que os braços e pernas estavam ‘gelados’ e ela tinha febre baixa. Preocupados, Brian e Ashley a levaram ao pronto-socorro do Stony Brook University Hospital em Nova York, antes que Ruby fosse posteriormente transferida para o New York Presbyterian Hospital para avaliação especializada.

A família  passou a chamar de lar este hospital pelos últimos três meses, depois que uma série de testes levou os médicos a diagnosticar Ruby com cardiomiopatia dilatada, uma condição que causa enfraquecimento do coração e redução da capacidade de bombear sangue. Algumas crianças que nascem com a doença podem ter uma vida normal e administrá-la com medicamentos, mas uma pequena porcentagem de crianças, como Ruby, precisa de um novo coração para sobreviver.

Ruby tinha apenas seis meses de idade quando fez o transplante de coração (Foto: Reprodução / Instagram @Metro.co.uk)

Mas antes mesmo de receber o novo coração, Ruby passou por uma cirurgia cardíaca aberta aos três meses de idade para implantar cirurgicamente um Berlin Heart de última geração, um dispositivo que auxilia o coração do bebê enquanto ela aguarda um doador. Depois de três meses de espera, o Natal chegou mais cedo para os Cotters, quando eles receberam a notícia de que um coração de um doador havia sido encontrado, e Ruby passou por uma cirurgia que mudou a vida em 22 de dezembro.

O transplante foi concluído sem complicações e, apenas três semanas após a grande operação, a família pôde voltar para casa junta pela primeira vez desde setembro. Brian e Ashley abriram mão do trabalho e de uma renda estável para ficar com Ruby durante todo o tempo em que ela ficou no hospital e foram sustentados financeiramente por amigos e familiares que doaram dinheiro para ajudá-los nas despesas de manutenção.

Ashley e Brian vão comemorar a chegada do segundo filho juntos no final deste ano (Foto: Reprodução / Instagram @Metro.co.uk)

Até o momento, mais de US $ 100.000 foram arrecadados e, embora Brian e Ashley não tenham precisado de tudo agora, Brian disse que grande parte do dinheiro será guardado para quando Ruby inevitavelmente precisar de mais transplantes mais tarde na vida.

Ruby se recuperou totalmente da cirurgia de transplante de coração e, além de precisar tomar medicamentos regularmente e ir ao hospital para exames, ela possivelmente terá vida normal como qualquer outra criança. Para aumentar a alegria da família, Ruby se tornará uma irmã mais velha ainda este ano, quando Brian e Ashley dar as boas-vindas ao segundo filho.

O 9º Seminário Internacional Pais&Filhos – A Tal da Felicidade está aí! Ele vai acontecer no dia 19 de agosto, completamente online e grátis. Serão oito horas de transmissão ao vivo e você pode acompanhar tudo neste link aqui. Esperamos por você!

-Publicidade-