Bebês

Bebê tem recuperação surpreendente após pais não deixarem desligar os aparelhos: “Milagres acontecem”

Jodie nasceu de 24 semanas, pesando 771 gramas

Emily Santos

Emily Santos ,filha de Maria Teresa e Francisco

Jordie, recém-nascido, com os pais (Foto: Reprodução/Evening Gazette)

Há pouco tempo, falamos aqui na Pais&Filhos sobre um estudo que mostra que bebês prematuros abaixo de 30 semanas têm sobrevivido cada vez mais, apesar de ser algo considerado quase impossível 40 anos atrás.

Um exemplo disso é Jordie-Jay, um bebê britânico de 4 meses que nasceu em novembro de 2018 com apenas 24 semanas de gestação, pesando 771 gramas.

Apesar de ter nascido extremamente prematuro, o bebê estava estável até que desenvolveu uma doença pulmonar crônica e piorou. Jordie teve que ser colocado em aparelhos de respiração porque não conseguia respirar por conta própria e, após algum tempo, os médicos revelaram aos pais, Ryan Pearce e Kirsty Byass, que o filho não resistiria.

“Ele simplesmente não estava melhorando, os médicos continuavam nos colocando em um quarto e nos dizendo que não havia mais nada que pudessem fazer por ele”, a mãe lembrou em entrevista é emissora local Teesside News.

O bebê nasceu pesando 771 gramas (Foto: Reprodução/Evening Gazette/Daily Mail)

O casal, então, se preparou e aos filhos mais velhos Justin, de 11 anos, e Junior de 7, para se despedir do caçula. No entanto, na hora H, eles não conseguiram ir em frente.

“Eu não acreditava que ele sobreviveria, mas depois pensei – você nunca sabe – milagres acontecem. E decidimos não desligar o ventilador”, continuou Kirsty.

Então Jordie-Jay ficou ligado às máquinas por mais algumas semanas e começou a melhorar. Com a melhora notável, todos os órgãos do menino apareceram bem no exame, mesmo com os danos no pulmão causados pela doença.

Jordie ganhou peso e ficou mais saudável (Foto: Reprodução/Evening Gazette)

Agora pesando 4 kg, o bebê foi transferido para outro hospital e os pais esperam poder levar o filho para casa nos próximos dias. Jordie vai precisar do auxílio de um tanque de oxigênio para respirar, mas a família sabe que o percurso que ele vai percorrer agora é para garantir que ele fique cada vez melhor.

Leia também:

O afeto faz toda a diferença na recuperação do bebê prematuro

Menina finge catapora para faltar à aula e tem “recuperação milagrosa” após ameaça de ir ao médico

Câmara aprova Projeto de Lei que quer aumentar a licença-maternidade para mães de bebês prematuros