Bebês de grávida morta com tiro sobrevivem após procedimento cirúrgico

A mulher que estava na fronteira entre o Brasil e o Paraguai não resistiu aos ferimentos, porém as gêmeas nasceram de 32 semanas com ajuda dos médicos

Resumo da Notícia

  • Ana Carolina Alhende Aquino estava grávida de 9 meses quando foi atingida por tiro
  • Ela e o marido estavam no carro na fronteira entre o Brasil e o Paraguai quando tudo aconteceu
  • A mulher não resistiu aos ferimentos, mas as bebês conseguiram ser salvas pelos médicos

Ana Carolina Alhende Aquino não resistiu ao ser assassinada dentro do carro na última sexta-feira, 24 de dezembro. A mulher estava em uma cidade localizada na fronteira entre o Brasil e o Paraguai quando foi atingida.

-Publicidade-
A grávida não resistiu aos ferimentos após ser baleada na fronteira entre Brasil e Paraguai
A grávida não resistiu aos ferimentos após ser baleada na fronteira entre Brasil e Paraguai (Foto: reprodução/G1)

Grávida de 9 meses, a mulher ainda foi encaminhada para o Hospital Regional de Ponta Porã, onde foi realizada uma cirurgia de urgência para dar à luz filhas gêmeas. Mesmo com os esforços médicos, a mulher não resistiu.

Porém, as bebês nasceram saudáveis, as 32 semanas. Segundo o G1, elas estão bem e não apresentam nenhum risco. Ainda de acordo com o que a Polícia Civil relatou ao portal, os atiradores tinham como objetivo acertar o marido de Ana Carolina, Gabriel de Abreu.

Os médicos conseguiram salvar a vida das gêmeas em uma cirurgia de urgência
Os médicos conseguiram salvar a vida das gêmeas em uma cirurgia de urgência (Foto: reprodução/G1)

Ele foi atingido também, com um tiro de raspão no braço, mas apesar disso, conseguiu dirigir o carro até um batalhão do Corpo de Bombeiros. Após o atendimento médico o homem encontra-se fora de perigo.

Testemunhas estão sendo ouvidas e Gabriel também dará o próprio depoimento quando receber alta hospitalar. O caso segue sob investigação.