Bebês

Cólicas do bebê: respondemos as principais dúvidas

Tire suas dúvidas com o nosso consultor e pediatra Claudio Len

Nathália Martins

Nathália Martins ,Filha de Sueli e Josias

As cólicas acontecem porque o sistema gastrointestinal ainda está em formação (Foto: Shutterstock)

As cólicas começam por volta de 2 semanas após o nascimento (Foto: Shutterstock)

“Doutor, o que fazer quando ele tiver cólica?”. Essa pergunta é muito frequente na primeira consulta, mesmo que os bebês ainda não tenham apresentado nenhum sintoma. Nosso pediatra e megaconsultor Dr. Claudio, pai de Fernando, Beatriz e Silvia, explica para os pais que cerca de 50% dos bebês têm cólicas e que elas começam por volta de 2 semanas depois do nascimento e duram até cerca de 3 meses de vida.

Trata-se de um processo fisiológico, portanto é considerado normal. No quadro mais clássico, os bebês choram uma ou 2 vezes ao dia, preferencialmente à noite, com duração de até 3 horas. Alguns pais conseguem até acertar a hora do relógio pelo instante em que a cólica aparece.

Acontece mais ou menos assim: a dor surge, dura alguns minutos e desaparece. Vem e vai, repetitivamente. E depois, os bebês voltam a ficar calmos, como se nada tivesse acontecido. Esse padrão de dor ajuda os pais a diferenciar a cólica de outras dores relacionadas a algo mais sério, como quando a dor persiste e dura por várias horas. Nesses casos, é importante que os pais consultem o pediatra.

Apesar de todos os avanços da medicina, pouco se sabe sobre a verdadeira causa das cólicas. Mas acreditamos que elas devem ter o seu papel no desenvolvimento. Afinal, no nosso organismo nada vem por acaso.

Meu filho tem 47 dias e percebi que as dores sempre vêm em horários específicos. Por que isso acontece? Valeria Melo, mãe de Davi

Na maioria das vezes, as cólicas costumam acontecer no mesmo horário, isso é normal. Não há uma explicação científica para a causa delas. E olha que curioso: os momentos mais comuns do aparecimento são de noite, por volta das 19h ou mais tarde, de madrugada. Em caso de dores de forte intensidade, com frequência maior que 3 vezes ao dia, os pais devem consultar o pediatra para que sejam afastadas outras causas de dor e/ou de choro, como fome,
esofagite por refluxo, entre outras.

Os derivados de queijo podem provocar as cólicas no bebê? Adriana Pansieri, mãe do Vicenzo, Gianluca e Massimo

Não há estudo científico que comprove que a dieta da mãe esteja relacionada ao aparecimento ou piora dos incômodos no bebê. No entanto, há mulheres que relatam uma diminuição dos sintomas quando restringem alguns alimentos como leite e derivados, frutas cítricas, embutidos, peixes e frutos do mar e nozes e castanhas. Mas isso deve ser visto com muita cautela, pois a nutrição materna adequada é fundamental para o aleitamento. Não deixe de consultar um especialista antes de qualquer coisa.

Por que os bebês têm isso? O uso de medicamentos pode ser uma alternativa? Simone Gazzana, mãe de Gabriel

Sabemos que os bebês ingerem muito ar na mamada, têm muitos gases e o intestino ainda é imaturo. Mas nada de concreto foi descoberto ainda sobre a causa das cólicas. Portanto, o melhor remédio é o tempo. Os pais devem ter em mente que isso não é uma doença, apenas uma fase normal do desenvolvimento. Com relação ao uso de medicamentos, alopáticos ou homeopáticos, não há evidências científicas sobre os reais benefícios. Recomendo falar com o seu pediatra, já que uso de medicamentos em bebês pequenos deve ser bem cauteloso.

Leia também:

Dr. Claudio responde: dúvidas sobre vacinas

Dr. Claudio responde: Sangramento nasal é comum?

Tire suas dúvidas! Dr Claudio responde 4 perguntas sobre catapora