Cólicas no bebê: 10 dicas para prevenir e aliviar o desconforto

Nenhum pai ou mãe gosta de ver os filhos enfrentando as tão temidas cólicas. A boa notícia é que dá para prevenir esse problema e também aliviar o desconforto com algumas dicas simples

Resumo da Notícia

  • Um dos motivos mais comuns de cólica são os gases no intestino
  • Com alguns cuidados simples em casa, é possível diminuir esse desconforto
  • Geralmente, as cólicas podem aparecer duas semanas após o nascimento, durando até cerca de três meses de vida

Quem diria que uma barriga tão pequena pode enfrentar tantos problemas? Apesar das dores e cólicas serem comuns nos bebês, qualquer pai ou mãe fica com os cabelos em pé quando ela, de fato, aparece. E aí, vem o abraço, o colo e muito carinho, mas nada parece fazer o desconforto passar.

-Publicidade-

Se essa cena for comum com o seu bebê, a boa notícia é que existem algumas técnicas que podem ajudar. Apesar das cólicas não apresentarem riscos ou serem graves, ninguém gosta de ver um filho sofrendo com dores. Por isso, trouxemos informações importantes para controlar a situação sem desespero, olha só!

O que pode causar cólicas no bebê?

Apesar de não existir uma causa concreta, é possível suspeitar de alguns motivos. Um deles é a presença de gases no intestino, que ainda é imaturo. Além disso, durante a amamentação, os bebês podem acabar ingerindo muito ar, resultando no desconforto abdominal.

As cólicas costumam ser bastante comuns nos bebês, principalmente nos primeiros meses de vida (Foto: Getty Images)

Geralmente, as cólicas podem aparecer duas semanas após o nascimento, durando até cerca de três meses de vida. Vale lembrar ainda que aproximadamente 50% dos bebês irão passar, pelo menos uma vez, por esse desconforto. Esse processo fisiológico é um quadro clássico e os bebês costumam chorar uma ou duas vezes ao dia, geralmente à noite, com duração de até três horas. Alguns pais até conseguem acertar a hora que as cólicas vão aparecer!

Como prevenir cólicas no bebê

Invista na amamentação materna exclusiva: caso as cólicas aconteçam por causa da imaturidade intestinal, a melhor maneira de prevenir é oferecendo o leite materno. Como ele é digerido com mais facilidade, as chances do desconforto aparecer costumam ser menores.

Fique de olho na sua alimentação: apesar das causas de cólicas em bebês não serem cientificamente comprovadas, é superimportante investir em refeições mais saudáveis enquanto você estiver amamentando. Evite o excesso de laticínios, cafeína, chocolate ou alimentos muito condimentados.

Entenda o funcionamento do intestino do seu filho: quando os bebês passam muitos dias sem evacuar ou apresentam algum desconforto durante esse momento, as cólicas podem aparecer. Isso acontece porque o intestino precisa trabalhar em dobro para facilitar a saída das fezes. Por isso, se você notar constipação, procure a ajuda de um pediatra.

De olho na pega da amamentação: se o bebê estiver posicionando a boca de maneira errada durante as mamadas, ele pode acabar ingerindo mais ar, aumentando o risco de cólicas. Por isso, é muito importante estar atenta à pega correta para evitar o problema.

Como aliviar o desconforto

Mesmo não sendo uma tarefa fácil, é possível aliviar as cólicas com algumas dicas simples:

Seja mais paciente

É normal que os adultos estejam mais cansados ou estressados ao final do dia, mas você sabia que isso também pode afetar o bebê? A situação acaba deixando-o mais agitado e propenso a ter problemas de digestão. Por isso, mantenha um ambiente mais aconchegante, com luzes e tons de voz mais baixos. Apesar das cólicas tirarem os pais dos eixos, elas vão passar. É natural que, a partir do segundo mês, os bebês tenham cada vez menos desconfortos, desaparecendo ao final do primeiro trimestre.

Faça “bicicletinha”

Uma técnica que pode ajudar no alívio das cólicas é o movimento de “bicicletinha”. Para fazer a manobra, dobre as pernas do bebê delicadamente e leve os joelhos até a barriga. Em seguida, movimente-as como se estivessem pedalando em uma bicicleta. A técnica ajuda na eliminação dos gases.

Dê um banho quente

O calor pode ajudar a aliviar as dores e deixar o bebê mais relaxado. Outra dica é usar uma toalha aquecida na barriga do bebê. No entanto, vale lembrar ainda que é importante ficar de olho na temperatura para não causar queimaduras!

Invista na massagem Shantala

A prática milenar ajuda a tranquilizar, fortalecer os vínculos entre pais e filhos e até mesmo melhorar a comunicação da família. Para as cólicas, a massagem na barriga ajuda a liberar os gases e reduzir o desconforto. Comece pela parte debaixo das costelas, massageando toda a região abdominal do bebê e desenhando círculos no sentido horário — isso vai ajudar na digestão!

Em seguida, com a mão inteira, massageie suavemente as coxas da criança, colocando uma leve pressão. Dobre as pernas e os joelhos com cuidado, empurrando-as contra o corpo. Com o polegar, pressione suavemente os dedos e sola do pé. Em seguida, acaricie cada um dos dedos e use movimentos circulares para massagear os calcanhares.

Com o polegar e o dedo médio, faça uma espécie de anel ao redor do braço do bebê. Acaricie a axila e trabalhe ao longo de todo o braço – tome cuidado com os cotovelos, porque é uma região bastante sensível. No rosto do bebê, faça carinho na testa, têmporas e parte inferior do crânio. Depois, vá para as sobrancelhas e pálpebras, o nariz, as bochechas, a boca e por último as orelhas e áreas adjacentes a elas.

Aprimore a massagem shantala no bebê

Para deixar a massagem Shantala ainda mais relaxante, você pode usar um óleo suave para bebê. A Granado possui três aromas disponíveis: tradicional, lavanda e erva-doce. Além dos benefícios da técnica, seu filho também aproveita a aromaterapia!

Óleo bebê lavanda (Foto: Divulgação)

Todos são dermatologicamente testados, protegendo e nutrindo a pele do bebê. Com óleos vegetais e vitamina E, são especialmente desenvolvidos para a pele delicada do seu filho. A composição é livre de conservantes, corantes, óleo mineral e ingredientes de origem animal.