Bebês

Como evitar assaduras: tudo que você precisa saber para proteger seu filho

Entenda porque elas acontecem e veja seis dicas práticas para passar longe desse problema!

Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

As assaduras também podem afetar o sono e a alimentação do seu filho (Foto: Getty Images)

Uma das coisas que mais preocupam uma mãe de primeira viagem quando o assunto é fralda são as assaduras. A gente sabe que dá a maior aflição ver o bumbum do bebê todo irritado e vermelho. Mas você sabe por que elas acontecem?

Conhecidas como dermatite das fraldas, as assaduras são uma reação inflamatória do contato da pele do bebê com outro agente. Como a pele do bebê é muito sensível, acaba se inflamando quando entra em contato com cocô, xixi, suor ou até mesmo um fungo, o sapinho. Além de deixar a pele irritada, vermelha, com ardência, coceira e dor, as assaduras também podem afetar o sono e a alimentação do seu filho.

Quando a criança está com assaduras, é comum surgir vermelhidão, bolinhas, inchaço e até descamação no bumbum e na virilha. Mas as regiões mais quentes e dobrinhas, como pescoço e a região debaixo do queixo, não escapam dele. As causas para essa irritação podem ser muitas: contato prolongado da pele com fezes e urina, atrito e fricção da fralda ou da roupa, fraldas apertadas e até resíduos de sabonete, lenço umedecido ou amaciantes.

Quando o bebê passa a consumir alimentos sólidos, também existe a possibilidade das inflamações aumentarem, já que a composição das fezes muda. As assaduras acontecem normalmente até os 2 anos, mas são mais frequentes entre 6 e 12 meses. Quando as temperaturas estão mais altas, a dermatite das fraldas aumenta.

(Foto: Getty Images)

E como fazer para prevenir essas lesões? É bem simples: trocar com frequência as fraldas do seu filho, de cinco a seis vezes por dia, dependendo da necessidade; higienizar a pele do bebê com os produtos adequados para os recém-nascidos e hidratar bem a região, usando pomadas antiassaduras. Além disso, dê banho com a água na temperatura do corpo, para que o bebê não perca calor. Lembre-se que cinco minutos são suficientes para limpar as partes mais importantes e sujeitas às assaduras.

Uma assadura inicial deve melhorar em cerca de dois dias depois do início do tratamento recomendado pelo médico. O uso de cremes tradicionais usados para prevenir a irritação com base de óxido de zinco, vitaminas A e D, lanolina, calêndula e óleos costumam solucionar o problema. Mas fique atenta! Se a assadura persistir ou piorar, fale com o pediatra. A irritação pode ser algum outro tipo de infecção que vai exigir um tratamento mais específico. Confira seis dicas práticas para prevenir as assaduras do seu filho:

– Troque a fralda do bebê sempre que possível

– Limpe a área dos órgãos genitais com cuidado. Depois que o bebê fizer cocô deixe a região bem seca antes de fechar a fralda

– Passe uma fina camada de pomada antiassadura no bumbum do bebê, e não use talco

– Não aperte demais a fralda. É preciso deixar espaço para o ar circular e a pele do bebê poder respirar

– Evite o uso de amaciante nas roupas do bebê

– Quando seu filho começar a comer alimentos sólidos, não dê muitas novidades ao mesmo tempo, pois a assadura também é forma de alergia alimentar.

Leia também:

Enxoval do bebê: a lista de tudo que você precisa comprar

Como limpar o umbigo do bebê? Ensinamos o passo a passo

Como não surtar com a quantidade de fraldas do bebê: 5 dicas para economizar