Bebês

Conserve o amor: a importância da doação e dos bancos de leite no desenvolvimento de bebês prematuros

Você sabia que um litro de leite materno pode alimentar até dez recém-nascidos por dia?

Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

O leite materno é importante para todos os bebês, mas principalmente para os que estão internados e não podem ser amamentados pela própria mãe (Foto: Getty Images)

Amamentar vai muito além de apenas dar o leite ao bebê. É um ato de amor e força, que faz toda a diferença no desenvolvimento da criança ao longo da vida. Neste sábado, 18 de maio, é celebrado o Dia Nacional da Doação Leite Humano. E a Pais&Filhos quer reforçar que doar leite para as mães que, por diversos motivos, não conseguem amamentar os filhos, é um ato de amor ainda maior.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda que as mães amamentem exclusivamente os filhos por pelo menos 6 meses. Isso porque o leite materno oferece toda a alimentação necessária para o bebê nesta fase, além de reforçar o sistema imunológico, conter células ativas que criam bactérias e anticorpos para combater infecções, auxiliar no desenvolvimento do sistema nervoso e até proteger contra a poluição.

O leite materno é importante para todos os bebês, mas principalmente para os que estão internados e não podem ser amamentados pela própria mãe. “Os bebês prematuros nascem de uma forma inesperada e, normalmente, por cesárea. A mãe, além de ter passado por uma cirurgia extensa e estar estressada, não pode segurar o filho no colo, nem tem o bebê para sugar seu peito e fazer com que o leite desça. Por isso, ela produz muito pouco ou nada de leite”, explica Taís Viana, mãe de Anna, fundadora do Fadas do Leite, projeto que incentiva a doação e a reflexão sobre a importância do leite materno.

O Brasil possui a maior rede de Bancos de Leite do mundo e é referência internacional no tema: temos 225 bancos espalhados por 145 municípios em todo o país, reconhecidos pela Organização Mundial de Saúde. Mas ainda faltam doadoras. Hoje, as doações suprem apenas 60% da real demanda nacional. Para você ter uma ideia, até hoje foram coletados cerca de 50 mil litros de leite humano neste ano, segundo dados da Fiocruz. No ano passado, foram cerca de 200 mil litros coletados no total, mas que não supriram a demanda. Ou seja, o volume de leite coletado atualmente abasteceria apenas 15% da necessidade deste ano.

Doar leite materno é doar-se

 Você sabia que um litro de leite materno pode alimentar até dez recém-nascidos por dia? Por isso, a doação de leite é um ato que salva e multiplica vidas. Para incentivar mães que amamentam a ser doadoras, ajudando a ampliar o volume de leite humano coletado e distribuído a recém-nascidos prematuros e de baixo peso, a Panasonic criou a campanha “Conserve o amor: doar leite materno é doar-se”.

Se você está amamentando, seja uma doadora e ajude quem mais precisa (Foto: Getty Images)“No ano passado, fizemos uma homenagem às doadoras para celebrar o Dia das Mães. Mas isso acabou tornando-se uma causa nossa. Resolvemos não só falar sobre o assunto, mas agir e incentivar, na prática, a doação de leite materno, um ato que salva vidas e que precisa cada vez mais de incentivo e divulgação”, explica Talita Diniz, Coordenadora de Marketing da Panasonic Brasil, filha de Ed e Olga.

“Esperamos conscientizar mães e também pais sobre o processo de doação, fazendo com que a causa chegue a um número grande de pessoas, como uma contribuição à sociedade. E a campanha não para por aqui. Vamos ter mais ações para o segundo semestre deste ano”, completa Talita.

Como faço para ser uma doadora de leite?

 Apesar de ser líder mundial em número de Bancos de Leite Humano, o Brasil tem uma escassez de doadoras. E isso acontece por falta de informação: muitas mães que amamentam não sabem o que precisam fazer para doar. “Muitas mães que têm leite sobrando às vezes acabam até jogando fora. O primeiro desafio é fazer com que elas se lembrem que podem doar esse leite e se tornem doadoras”, explica Taís.

Como quase tudo que envolve a maternidade, conseguir doar leite no começo é difícil. Mas basta insistir que dá certo e o resultado compensa. “A mãe pode achar que vai conseguir coletar um pote cheio logo de cara, mas o comecinho do processo é complicado mesmo. Não é raro a mulher conseguir tirar apenas 5 ml de leite na primeira vez. Mas aos poucos, ela vai criando um hábito”, conta Taís. A boa notícia é que dependendo do peso do prematuro, 1 ml já é o suficiente para nutri-lo a cada vez que for alimentado. Além disso, quanto mais amamenta ou esvazia as mamas, mais leite você produz.

A mulher também pode se beneficiar lá na frente por ser uma doadora hoje. “Quando a mãe sai da licença-maternidade e volta ao trabalho, precisa aprender a tirar e armazenar leite para o próprio filho. Se ela for uma doadora, já vai ter criado esse hábito de ordenhar e coletar o leite e conseguirá passar por essa fase sem problemas ou surpresas”, explica Taís. Para colaborar, primeiro você precisa encontrar o Banco de Leite Humano mais próximo, que pode ser consultado aqui. Se você está amamentando, seja uma doadora e ajude quem mais precisa. Qualquer quantidade é importante. Seu ato significa vida e amor para uma criança.

Leia também:

Tudo sobre amamentação: as 17 maiores dúvidas das mães

5 desafios da amamentação na volta ao trabalho

Leite materno é tudo! Alimento contém célula capaz de proteger bebê de bactérias