Bebês

Criança de 2 anos perde metade do dedo do pé em creche e não recebe assistência

O menino prendeu o dedo em uma porta da escola

Cinthia Jardim

Cinthia Jardim ,filha de Luzinete e Marco

A creche colocou lenços de papel no dedo da criança (Foto: reprodução / The Sun)

Harry, um menino de dois anos, prendeu o dedo, acidentalmente, em uma creche na Austrália. O ferimento comprometeu 50% do dedão do pé, e de acordo com a mãe, Taylor Maddison, em entrevista ao veículo The Sun, ele precisou ser recolocado, mas poderia sofrer danos nos nervos.

Pelo Facebook, a mulher fez uma publicação reclamando do tratamento inadequado de primeiros socorros do berçário, que fica em Gold Coast. No texto, ela escreveu: “Recebi uma ligação enquanto trabalhava (de um educador) explicando que meu filho havia fechado o dedão do pé na porta”.

O menino prendeu o dedo na porta (Foto: reprodução / The Sun)

No momento da ligação, Taylor disse que foi informada de que “a unha de Harry parecia estar levantada e havia um pequeno corte e muito sangue. O menino precisará ser atendido por um médico”, informou ao The Sun. Ela também explicou que em momento algum informaram a gravidade do acidente.

Como Taylor estava no trabalho, a irmã dela foi buscar o menino 20 minutos depois de que recebeu o telefonema. A mulher só entendeu o que realmente estava acontecendo quando foi avisada de que o garoto estava perdendo e recuperando a consciência. “Corri do trabalho para meu filho, onde descobrimos, depois de puxar o pano, que estava no centro do machucado, que o dedão do pé estava 50% separado”

Ele teve 50% do dedo cortado (Foto: reprodução / The Sun)

O menino foi operado assim que chegou ao Hospital Infantil de Queensland, em Brisbane, de ambulância. “Meu filho fez uma reconstrução do leito ungueal, reparo da pele, limpeza e lavagem do dedo antes de costurá-lo novamente”, explicou. “Ele não pode brincar com o irmão ou a família, e dificilmente poderá andar por aí ou correr”.

“Minha preocupação é que a creche nunca tenha prestado assistência adequada ao meu filho e nunca tenha contatado uma ambulância”, escreveu Taylor no Facebook. Em resposta, um assessor da G8 Education disse que um educador prestou os primeiros socorros e outros funcionários tentaram acalmar a criança. As autoridades irão investigar o incidente.

Leia também:

Sem desespero! Dicas de primeiros socorros para pequenos acidentes comuns

Menino de dois anos fica em coma depois de cair do sofá e mãe faz alerta

Absurdo! Bebê precisa passar por cirurgia plástica após corte acidental em cesárea

Fique por dentro do conteúdo do YouTube da Pais&Filhos: