Cuidados com a pele do recém-nascido: veja lista da SBP para os primeiros meses de vida

Desde cedo, é muito importante cuidar da pele do bebê! Para reforçar o que não pode ficar de fora da rotina, a Sociedade Brasileira de Pediatria atualizou o documento para cada situação

Resumo da Notícia

  • O banho do bebê e troca de fraldas foram as principais recomendações
  • Os cuidados com a pele são superimportantes desde cedo
  • A Sociedade Brasileira de Pediatria atualizou os cuidados com a pele do recém-nascido

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), compartilhou um documento científico, feito pelos Departamentos Científicos de Dermatologia e Neonatologia, atualizando os cuidados necessários com a pele do recém-nascido. Com a rotina corrida da família, nem sempre ela ganha todo o carinho que merece, mas é muito importante dar atenção!

-Publicidade-

“A pele é o maior órgão do corpo, responsável por várias funções, cuja principal é atuar como barreira, evitando a desidratação, a absorção de substâncias nocivas e a invasão de microrganismos”, explica o documento. Por isso, logo nos primeiros meses de vida, é essencial colocar todos esses cuidados em prática! Saiba o que fazer em cada uma das situações:

Vérnix caseoso

O biofilme protetor, que cobre todo o bebê no último trimestre da gravidez é conhecido como Vérnix caseoso. Como objetivo, essa película permite a maturação da pele, além de fornecer outros benefícios. Por isso, nas primeiras horas de vida, com exceção do risco de transmissão de doenças maternas, o vérnix não deve ser removido.

Primeiro banho do bebê

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o primeiro banho do bebê deve acontecer apenas após 24 horas do nascimento, ou se não for possível, adiado por pelo menos seis horas. Quando ocorre de maneira precoce, pode interromper o contato pele a pele com a mãe, além de aumentar os riscos de hipotermia, desconforto respiratório e atrapalhar a amamentação. Saiba como dar banho no bebê. 

O primeiro banho do bebê deve acontecer 24 horas após o parto (Foto: iStock)

De olho nos sabonetes!

O pH da pele é muito importante para a proteção contra os micro-organismos. Além disso, ele é fundamental para a maturação da barreira epidérmica e processos de cicatrização. Quanto ao uso de sabonetes, é recomendado que eles não alterem o pH natural da pele (entre 4,2 a 5,6), removam a sujeira de forma mais eficiente do que a água e também preserve o microbioma. Por isso, os produtos mais adequados são aqueles que possuem menos de 10% de sabonete e tem o pH entre 5,5 e 7.

Hidratantes

O produto ideal é aquele que pode conservar a água na camada córnea e garante a restauração da barreira cutânea. Na hora de escolher o hidratante, é importante que ele minimize qualquer risco de irritação. No momento do uso, o hidratante pode ser utilizado desde o período neonatal, de preferência logo após o banho. Vale lembrar ainda que ele pode ser usado diariamente, ou pelo menos três vezes na semana.

Óleos naturais

Os emolientes, que fazem uma camada na superfície da pele, retém a água e possuem pouco poder de hidratação quando usados sozinhos. Por isso, a recomendação é utilizar durante o banho e para massagens. Possuem efeitos calmantes, atividade antimicrobiana, anti-inflamatória e podem diminuir irritações causadas na pele. Mas, é muito importante estar de olho na composição do produto antes de escolher qual usar.

A Sociedade Brasileira de Pediatria atualizou o documento de cuidados com a pele do bebê (Foto: Getty Images)

Coto umbilical

Nos partos hospitalares, ou em locais de baixa mortalidade infantil, é recomendado que o coto umbilical (pedacinho de pele que fica na região do umbigo) seja mantido limpo e seco. Vale lembrar que o uso tópico de antissépticos não é necessário.

Troca de fraldas

Para evitar que as famosas dermatites da área de fralda aconteçam, é recomendado a troca frequente das fraldas, exposição da pele ao ar, limpeza suave da região e também o uso de cremes/pomadas para prevenir o problema.

Banho de sol

Abaixo dos seis meses de vida, é importante evitar a exposição direta ao sol, sendo importante adotar protetores mecânicos como sombrinhas, guarda-sóis, bonés e roupas de proteção. Após esse período, ela pode ser realizada mas com o uso de filtros solares minerais.

Unhas do bebê

O corte mais adequado é aquele reto e com pouca profundidade. Mantenha-as sempre limpas e curtas, evitando que enrosquem em tecidos ou que o bebê possa se machucar. Saiba mais sobre as unhas do bebê.

Shampoo

O uso de shampoos não é essencial para o couro cabeludo do bebê, podendo ser uma questão de preferência da família. Escolha sempre produtos suaves tanto para a pele, quanto para os olhos.

Cuidado com produtos tópicos!

Nessa faixa etária, a pele é muito mais sensível e há a possibilidade de absorção percutânea de produtos de uso tópico. Eles podem causar riscos de toxidade. Por isso, higienize bem as mãos, evite o contato direto com a abertura do frasco e utilize uma colher limpas ou espátula nas embalagens maiores.

Pele do bebê prematuro

Os bebês prematuros, ou recém-nascidos pré-termo, possuem a pele mais sensível e comprometida, demandando cuidados específicos. Por isso, converse sempre com um pediatra para a melhor intervenção para o seu filho.