Diarreia em bebê: como identificar, quando é grave e qual o tratamento

Crianças pequenas podem, sim, ter quadros de diarreia. Existem alguns sinais que os pais devem ficar de olho e tratamentos específicos para seguir caso isso aconteça com o bebê

Resumo da Notícia

  • O cocô é o principal indicativo de como está a saúde do seu filho
  • Por mais que o assunto ainda seja um tabu para muitas pessoas, é preciso que os pais se tornem experts no assunto
  • Veja o que fazer caso seu filho esteja com diarreia

Quer saber como anda a sua saúde? Dê uma checada no seu cocô. Por maior que seja o tabu envolta desse assunto, é extremamente importante saber que as fezes são um dos principais indicativos se está tudo bem com o seu corpo ou se tem algo errado. E, se você se tornou pai ou mãe, a nossa notícia é que você precisa deixar de lado qualquer tipo de preconceito e ser um expert nesse papo.

-Publicidade-

Quando falamos sobre o cocô do bebê, muitos pais – principalmente os de primeira viagem – podem ficar assustados. Para saber se está tudo certo com o seu filho, é preciso se atentar a três indicativos das fezes: cor, formato e consistência. Normalmente, esses fatores vão mudando conforme o bebê cresce e ele passa a ser alimentado com comidas sólidas além do leite materno. Mas, é preciso ficar atento caso ele mostre sinais de que está com diarreia.

(Foto: Freepik)

O que é diarreia?

De acordo com o Dr. André Laranjeira de Carvalho, pai de Sofia e Manuela, formado e especializado pela Universidade de São Paulo, Pediatra do Hospital Albert Einstein, diarreia pode ser classificada como o aumento do volume das fezes, juntamente com uma alteração na consistência – podendo se tornar pastosa ou líquida.

Além disso, um grande indicativo que demonstra que o bebê ou criança está com um quadro de diarreia é o aumento de frequência das evacuações. “Outra definição usada por pediatras é a ocorrência de três ou mais evacuações amolecidas ou líquidas em 24 horas, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria”, explica o especialista.

O que causa diarreia em bebês?

  • Infecções por vírus, bactérias ou parasitas
  • Consumo de alimentos contaminados
  • Alergia ao leite de vaca
  • Uso de laxantes
  • Uso de antibióticos
  • Intoxicações
  • Invaginação intestinal

Quando um quadro de diarreia em bebês é considerado algo grave?

Para entender se o quadro de diarreia do bebê é grave, é preciso levar em consideração alguns fatores muito importantes. Os pais precisam se preocupar caso haja essa alteração nas fezes do bebê caso a criança tenha menos de dois meses de idade ou possua algum tipo de comorbidade, como a diabetes infantil. Outras condições que servem de alerta são:

  • Insuficiência renal ou hepática
  • Doenças crônicas
  • Presença de vômito persistente
  • Diarreia volumosa e frequente
  • Sinais de desidratação

Dr. André Laranjeira também levanta outros pontos que pedem maior atenção dos pais de um bebê que está com um quadro de diarreia: fique de olho e leve seu filho para um especialista caso ele aparente estar sonolento, irritado, letárgico, hipoativo, quieto, recusando líquidos e sem urinar.

Veja quando alterações no cocô do seu filho devem ser motivo de preocupação
Veja quando alterações no cocô do seu filho devem ser motivo de preocupação (Foto: iStock)

Qual o tratamento para diarreia do bebê?

O aumento da oferta de líquidos é o principal tratamento para a diarreia do bebê. Para as mães que ainda amamentam os filhos, a indicação é aumentar a oferta e também dar soro de reidratação oral. Já para os bebês que estão em fase de introdução alimentar, é necessário evitar as comidas que podem piorar o quadro, além de dar mais água, água de coco e soro de reidratação para a criança.

“Todas as orientações médicas recomendam fortemente manter o aleitamento materno nos quadros diarreicos. Quando o bebê usar fórmula infantil, ela não deve ser diluída a mais, mas deve ser preparada da maneira habitual conforme a recomendação do fabricante. Quando a diarreia for persistente por mais de 14 dias, é válido o uso de fórmulas sem lactose caso o bebê não amamente e se mesmo assim não melhorar cogitar a possibilidade de alergia à proteína do leite de vaca e usar fórmulas especiais para alérgicos”, orienta o pediatra.

O que não deve ser ofertado para o bebê com diarreia?

Quantas vezes um recém-nascido faz cocô por dia?

Bebês usam pelo menos 2 mil fraldas durante o primeiro ano de vida (sim, é muita coisa). Logo no início da vida do seu filho, pode ser mais complicado adivinhar quando ele fará cocô. Por isso, é muito importante observar a criança. Não dá para saber exatamente quantas vezes o recém-nascido faz cocô por dia, já que isso varia de criança para criança. Tudo depende de como ele é alimentado: leite materno ou fórmula (lembrando que, se você amamenta seu filho com mamadeira, isso não te torna menos mãe. Beleza?).

As fezes de um bebê alimentado com fórmula tendem a ter cores mais puxadas para o amarelo e marrom e são mais firmes do que as de um bebê amamentado com leite materno. Recém-nascidos alimentados com fórmula também fazem menos cocô – e, quando fazem, ele possui um cheiro mais forte e são maiores. Isso acontece porque os movimentos intestinais são mais lentos quando o bebê consome fórmula.

Meu filho está com sangue nas fezes. O que pode ser?

Antes de tudo, tenha em mente que cocô vermelho não significa que necessariamente há sangue nas fezes. Isso pode ser causado pelo tipo de alimento que ele consumiu recentemente, como a beterraba, tomate ou alguns tipos de suco. Mas, caso você identifique que a alteração da cor está sendo causada por sangue (principalmente se o cocô estiver preto), leve seu filho até um especialista. Isso pode estar sendo causado por:

  • Constipação
  • Infecções
  • Alergias alimentares
  • Lesões no mamilo da mãe
  • Sangramento do trato gastrointestinal
  • Colite
  • Doença de Crohn
  • Enterocolite necrosante