Bebês

Dona e funcionária de creche que agrediram bebê de 5 meses vão responder por maus-tratos

As imagens mostram uma delas batendo na cabeça do bebê com um celular e a outra dando tapas

Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

Vídeo mostra funcionárias da creche batendo em bebê de 5 meses (foto: reprodução/video)

Duas mulheres aparecem em vídeo agredindo um bebê de cinco meses dentro de uma creche em Vitória. O material virou objeto de investigação policial e também da Comissão de Proteção à Criança e ao Adolescente e de Políticas sobre Drogas, da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales).

A creche é particular e fica no bairro Maria Ortiz. Pelas imagens, é possível perceber que as mulheres agridem a criança quando ela chora. Uma delas bate na cabeça do bebê com um celular e a outra dá tapas. Depois de um tempo, uma delas ainda tira o bebê do carrinho bruscamente e esfrega um pano no rosto dele.

A mãe da criança fez o Boletim de Ocorrência junto à Polícia Civil na última terça-feira (21). Hoje (22), as mulheres foram autuadas por maus-tratos. Uma das suspeitas é uma idosa de 66 anos, dona do estabelecimento. A outra é uma funcionária de 29 anos. Elas assinaram um Termo Circunstanciado e vão responder em liberdade.

“Estou arrasada com isso tudo que ela fez. Não esperava isso dessa mulher, não. A gente a conhecia, ela tomou conta dos meus netos. Eu via algumas mães reclamando dela, mas não sabia que ela ia aprontar essa”, disse a avó da menina, Djanira da Penha Rocha.

Segundo informações do G1, o vídeo foi gravado por uma vizinha e chegou até as autoridades após a mãe da criança registrar Boletim de Ocorrência. Segundo a Prefeitura de Vitória, o local não possui alvará de localização e funcionamento como creche.

Leia também: 

Família faz relato de agressão a criança em escola; polícia investiga a denúncia

Mãe desabafa sobre agressão em show de Gusttavo Lima com filho cadeirante: “Me socaram”

Bullying e cyberbullying são formas de agressão que levam ao suicídio, principalmente na infância