Bebês

Empresa cria acessório para proteger cabeça de bebês que engatinham

O produto está sendo muito bem avaliado pelos responsáveis

Maria Luiza Cardone

Maria Luiza Cardone ,Filha de Carla e Luiz

Empresa cria acessório para proteção de bebês que engatinham (Reprodução)

Um acessório foi lançado recentemente no mercado com a proposta de proteger os bebês que engatinham. A ideia é uma mochilha de pelúcia que tem um protetor para a cabeça, assim, se a criança cair, não vai se machucar. A bolsa bem com algumas tiras que devem ser amarradas em torno do braço.

Para os pais que são super protetores, o acessório é regulável para ter um encaixe de acordo com o tamanho do filho. As empresas estão vendendo de várias cores, estampas, tamanhos e formas. O valor é de aproximadamente 7 reais e você pode facilmente adquirir pela internet.

O produto está sendo muito bem avaliado pelos responsáveis. “É realmente útil e fofo, mas todos da família não conseguem segurar a risada”, disse um dos pais.

Como estimular o seu filho a engatinhar e andar de forma tranquila 

Cada aprendizado do bebê é motivo de comemoração para os pais e toda família: a primeira mamada, o primeiro sorriso, a primeira palavra. E com os primeiros passos não poderia ser diferente. Sabemos que toda mãe ou pai fica ansioso para ver o filho deixar de engatinhar e começar a andar sozinho, mas é preciso entender que cada criança tem sua personalidade e tempo de amadurecimento.

Desde o primeiro mês de idade até três anos, seu filho terá um período repleto de descobertas, experiência, troca e formação de vínculos. É normal sentir dúvidas e medos durante essa fase, mas para que o bebê tenha um desenvolvimento motor seguro, você precisa manter um equilíbrio.

“É importante criar estímulos desde os primeiros dias de vida do bebê, pois nessa fase a percepção e a inteligência são construídas. Mas isso não quer dizer que você precisa sobrecarregá-la. Uma criança superestimulada pode até ter seu desenvolvimento prejudicado”, explica Dr. Claudio Len, pediatra e médico do departamento Materno-Infantil do Hospital Albert Einstein, pai de Fernando, Beatriz e Silvia. Ou seja, para estimular seu filho, não é preciso nenhuma técnica mirabolante e sofisticada. A maioria delas você já faz naturalmente, sem perceber, quase por instinto.

Começar a andar é uma questão de confiança (Foto: Getty Images)

De passo em passo

Uma das coisas que mais preocupam os pais são as habilidades motoras dos filhos. Queremos muito vê-los sentarem, ficarem de pé e andarem o mais rápido possível. Mas é preciso cautela. Qualquer criança normal conquista seu corpo e seus movimentos, desde que você proporcione um espaço adequado e uma relação de confiança. “Quanto mais tempo os pais deixarem a criança no chão, melhor. Vale no tatame ou no edredom, sempre possibilitando que ela explore o ambiente”, indica Dr. Claudio.

Paciência é a palavra-chave

Com o tempo, você pode achar que seu filho já deveria ter andado ou que deveria ter feito alguma coisa que não fez. Mas muitas vezes o grande estímulo é não fazer nada e apenas dar liberdade. “Se o estímulo for exagerado, a criança pode ter concentração baixa e até ser hiperativa no futuro”, alerta o especialista.

O beabá do andar

Os bebês costumam sentar entre os 4 e 8 meses, quando as células nervosas estão sendo recobertas por uma membrana chamada mielina e o pescoço finalmente vai ser capaz de sustentar o peso da cabeça. A partir dos 4 meses, você pode segurar o bebê pelas axilas, quando ele está no seu colo. Isso ajuda a treinar o equilíbrio e, se você balançá-lo para baixo e para cima, ele provavelmente vai tentar se manter ereto firmando o pescoço.

Logo depois, ele vai aprender a enrijecer os braços e manter o tronco reto. Seu papel é estar ali do lado, incentivando e deixando-o num lugar fofo para o caso dele se desequilibrar. Um bom estímulo são os móbiles ou outros brinquedos em cima do berço. Para tocá-los, o seu filho vai tentar levantar o tronco.

Depois, a criança sente a necessidade de se mover por conta própria. Nesse momento, o segredo é estender um cobertor no chão e espalhar os brinquedos que ela mais gosta. Seu filho vai engatinhar rapidinho, ou pelo menos se arrastar pelo chão. Entre 7 e 10 meses, a criança começa a aprender a sustentar o próprio peso de pé, apoiada, então use a mesma técnica dos brinquedos, mas coloque-os em cima do sofá. A maioria dos especialistas concorda que o andador não deve ser usado, porque nem sempre a musculatura já está preparada para isso.

Conforme seu bebê começar a se levantar e ganhar equilíbrio segurando suas mãos, ajude-o a dar alguns passos. Isso irá auxiliá-lo com a próxima fase da caminhada, além de ganhar confiança para dar os primeiros passos. Nesta fase, equilíbrio é a palavra-chave. Se o bebê consegue se equilibrar por alguns segundos, vai logo se sentir preparado para tentar dar um passo. Entre 9 e 12 meses, você pode transformar o equilíbrio do bebê em uma verdadeira brincadeira. Sente-se com ele no chão e ajude-o a levantar. Conte quanto tempo ele consegue ficar em pé antes de tombar. Elogie depois de cada tentativa.

Começar a andar é uma questão de confiança, então tudo que leva aos primeiros passos precisa de elogio e encorajamento. Então, pode comemorar à vontade no momento que a criança conseguir dar os primeiros passos. Caso seu filho apresente alguma dificuldade nesse processo, lembre-se de que cada criança tem seu próprio limite. “Os pais devem ficar atentos para que o estímulo seja prazeroso e sentir até que ponto aquilo está sendo bom e saudável para o bebê. Também é importante fazer sempre um acompanhamento com o pediatra para conseguir detectar possíveis atrasos no desenvolvimento motor”, explica o especialista.

 A aventura começa

Depois que o bebê começa a andar, ninguém vai conseguir segurá-lo e tudo vira uma grande aventura. E nada melhor do que oferecer segurança e conforto aos pés do seu filho nesta fase tão importante.

Por isso, a Grendene Kids desenvolveu a nova coleção DC Super Friends, que proporciona movimento e, ao mesmo tempo, diversão para a criançada. O produto é bem flexível, permitindo um andar natural para os bebês, além de ser muito prático para calçá-lo no pé do seu filho.

Sem falar no tema da coleção, que reuniu os três maiores super-heróis da DC: Batman, Super-Homem e Flash. A sandália também vem com uma torre de encaixe que contribui para o desenvolvimento motor e o conhecimento das cores e formas geométricas – afinal, uma brincadeira encaixa na outra.

Leia também:

Hora de engatinhar: você sabe como encorajar seu bebê?

Vídeo: Bebê tem ajudinha especial para aprender a engatinhar

Primeiros passos: pais filmam bebê aprendendo a andar