Bebês

Fernanda Gentil desabafa: “Você não é menos mãe por não conseguir amamentar”

A apresentadora contou que seu leite secou e ela precisou adotar a mamadeira para alimentar o filho

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Reprodução / Instagram @gentilfernanda)

(Foto: Reprodução / Instagram @gentilfernanda)

Fernanda Gentil fez um desabafo sobre amamentação e contou as dificuldades que teve para alimentar o filho, Gabriel. A apresentadora postou uma foto em seu perfil no Instagram na noite desta quarta-feira (1), por conta da Semana Mundial do Aleitamento Materno, que acontece entre os dias 1 e 7 de agosto.

“Já que estamos na semana do aleitamento materno: eu achei que amamentar fosse tão automático quanto ser mãe – se quando nasce um filho, nasce uma mãe, então essa mãe vai amamentar. Não necessariamente. Talvez não se tiver mamilos invertidos, prótese, redução de mama, se sentir muita dor, o leite não descer ou secar – e o meu secou”, escreveu Fernanda.

(Foto: Reprodução/Instagram @fernandagentil)

(Foto: Reprodução/Instagram @gentilfernanda)

Ela contou que passou por um momento muito difícil e de culpa, mas que felizmente foi superado: “Para uma mãe que sempre sonhou em viver o momento mágico-de-filme do filho mamando no peito, do olho no olho, da mãozinha segurando o nosso dedo, a notícia da mamadeira cai como uma bomba. Chorei, me julguei e repassei a gravidez inteira na minha cabeça tentando descobrir onde errei; se foi o chocolate que comi, a noite que não dormi ou aquela longa escada que subi”.

Assim como muitas mães que também passam por esse problema, Fernanda precisou recorrer à mamadeira e conseguiu ver que ela também tem benefícios. “O meu sofrimento durou até eu dar a primeira mamadeira. Foi quando descobri que eles também olham no nosso olho e a mãozinha também segura o nosso dedo quando mamam na “dedêra”. Descobri também que esse é um assunto polêmico e não estou aqui para polemizar. Até porque o melhor cenário é o leite materno! Claro! Mas o pior é não ter leite; nem do peito da mãe, nem de outro peito, nem da lata”.
Culpa, não!

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de gravidez. Não dá para negar que a amamentação faz bem tanto para a mãe quanto para o bebê, mas existem algumas mulheres que não conseguem amamentar por problemas específicos, como a Fernanda Gentili. Há quem precise dar a mamadeira depois de 4 meses, por conta da volta ao trabalho depois da licença-maternidade. Outras, ainda, não conseguem amamentar logo depois do primeiro mês por fatores físicos: o leite seca, o bico do peito racha… Mas nenhuma das duas coisas torna você menos mãe ou menos mulher.

Leia também:
Quando você realmente não pode amamentar
Amamentação não é como nos comerciais
Amamentação cruzada, não!!! Entenda o porquê

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não