Flávia Viana explica decisão de continuar amamentando o filho mesmo com covid-19

A apresentadora disse que está em isolamento com o marido, Marcelo Zangrandi, que também foi infectado. Ela também explicou que foi orientada pela pediatra do filho, Gabriel, a continuar com a amamentação para fortalecer a imunidade do bebê

Resumo da Notícia

  • Flávia Viana contou nos Stories do Instagram neste domingo, 23 de maio, que testou positivo para a covid-19
  • Ela disse que está em isolamento com o marido, Marcelo Zangrandi, que também foi infectado
  • A apresentadora ainda explicou que foi orientada pela pediatra do filho, Gabriel, a continuar com a amamentação para fortalecer a imunidade do bebê, de 7 meses

Flávia Viana contou nos Stories do Instagram neste domingo, 23 de maio, que testou positivo para a covid-19. Ela disse que está em isolamento com o marido, Marcelo Zangrandi, que também foi infectado. A apresentadora ainda explicou que foi orientada pela pediatra do filho, Gabriel, a continuar com a amamentação para fortalecer a imunidade do bebê, de 7 meses.

-Publicidade-

“Amores, vim comunicá-los que infelizmente testei positivo para a covid, sendo assim o Marcelo (o primeiro a testar) que estava isolado em outro apartamento voltou para casa para que juntos pudéssemos nos ajudar a vencer esse vírus! Os três mais unidos que nunca! Me deixa muito feliz o fato de poder continuar amamentando o Gabriel, sua pediatra Dra. Paula me orientou para dar muito ‘mamá’ porque assim eu passo imunoglobina para ele, deixando ele bem fortão”, continuou.

Flávia Viana testa positivo pra covid-19 e continua amamentando o filho (Foto: reprodução Instagram)

“Deus no controle! Estamos em casa, isolados e tendo acompanhamento da equipe médica. Tenho muita fé que sairemos juntos dessa. Me sinto feliz pela Sabrina, minha mãe e o restante da minha família estarem negativos. Fiquem bem e se protejam! Obrigada por tanto amor”, concluiu ela.

Amamentação deve ser feita mesmo se a mãe apresenta sintomas de coronavírus?

O mundo está assustado frente a pandemia do novo coronavírus. Com tanta medidas de prevenção sendo colocadas e entre elas, o destaque para o isolamento social, surgem diversas dúvidas sobre o que pode ou não ser feito em termos de proteção da saúde, em relação à mãe e aos bebês. De acordo com as pesquisas, as crianças não fazem parte do grupo de risco da doença, mas aquelas com menos de dois anos podem estar nele por terem o sistema imunológico ainda muito imaturo. 

Diante desse cenário, muitas mães ficam inseguras se podem seguir com a amamentação, caso apresentem algum dos sintomas da infecção pela Covid-19, como febre e tosse seca. A enfermeira obstetra e consultora em amamentação Cinthia Calsinski, mãe de Matheus, Bianca e Carolina, colunista da Pais&Filhos, reforça que, assim como indica a Sociedade Brasileira de Pediatria, é fundamental que a amamentação seja seguida.

“Não existe relato de transmissão do coronavírus pelo leite materno. A mãe infectada deve manter o aleitamento, uma vez que anticorpos inespecíficos e específicos do Covid-19 passam pelo leite melhorando a imunidade do bebê”, orienta. Além disso, o leite também é rico em nutrientes que o bebê precisa nessa idade. O cuidado principal, segundo a especialista, deve ser antes e durante a amamentação, por conta das secreções das vias aéreas. 

Amamentação deve ser feita mesmo se a mãe apresenta sintomas de coronavírus? (Foto: Shutterstock)

“É recomendado que a mãe use máscara cirúrgica durante a amamentação e higienize muito bem as mãos com água, sabão e álcool gel antes do contato com o bebê”, sugere. Como as infecções por coronavírus causam doenças respiratórias leves a moderadas, semelhantes a um resfriado comum, e são transmitidas pelo contato pessoal com secreções contaminadas, essas medidas devem ser seguidas. Como a doença ainda não tem tratamento ou vacina, é indicado repouso e consumo de bastante água caso perceba os sintomas. 

Nesta quinta-feira (19), o Ministério da Saúde também falou sobre o assunto durante um pronunciamento sobre a pandemia. O órgão reforçou a necessidade de manter o aleitamento, apenas acrescentando o uso de máscaras e evitando tossir em cima do filho. Durante a coletiva, também foi recomendado que mulheres que fazem doações ao banco de leite e apresentem sintomas, devem procurar o banco e verificar quais são as orientações.