Bebês

Jogador Fernandão relembra perda de bebê 7 dias antes do parto da esposa: “Difícil enterrar uma filha”

Ele contou sobre as dificuldades que passou no país após perder a filha

Cinthia Jardim

Cinthia Jardim ,filha de Luzinete e Marco

O casal está à espera de Levi (Foto: reprodução / Instagram)

Em 2013, o atacante Fernandão, foi vendido pelo Bahia para o Bursaspor, e viveu o auge da carreira como artilheiro fora do país. Ele passou por dois times turcos antes de ser vendido para o Al Wehda, localizado na Arábia Saudita. Em entrevista ao jornal O Globo, ele diz “não guardar boas recordações dessa fase”.

“Foi a pior experiência que eu tive na minha carreira e na vida pessoal. Estava num país totalmente restrito, que tem uma religião totalmente fechada. Minha família não podia andar à vontade. Não conseguimos nos adaptar à cultura e leis deles. Isso dificultou muito meu desempenho. Lá eu simplesmente não consegui jogar”. O jogador nos times anteriores marcava uma média de 22 gols por temporada e em seis meses no time da Arábia Saudita, marcou apenas dois.

O jogador relembra que sempre que chegava em casa encontrava a mulher chorando e pedindo para voltar ao Brasil. Fernandão relembrou que nessa época, Daiana Santana, esposa do jogador, engravidou de Rebeca, filha que o casal esperava há tempos. “Era a terceira gestação dela, mas infelizmente o coração da bebê parou de bater dentro da barriga da mãe. Foi o maior choque de nossa vida. Isso desestruturou tudo. Meu psicológico ficou muito abalado”.

Fernandão, a esposa e os dois filhos (Foto: reprodução / Instagram)

O casal se conheceu em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, e estão juntos há 15 anos. A morte de Rebeca aconteceu uma semana antes do parto e o ocorrido não permitiu que a família saísse da Arábia para voltar ao Brasil. Daiana estava muito triste por estar longe da família. “Entrei em depressão e o Fernando teve que segurar a barra sozinho. Não tive força, nem estrutura emocional para enterrar minha filha. Não conseguia sequer ver as roupinhas dela. Tranquei o quarto e não queria mais sair na rua. Se eu visse algum bebê já começava a chorar”, contou ao site. Daiana descobriu por um laudo médico que a filha tinha um caso raro de leucemia e que nasceria doente, caso a gravidez fosse completa.

O jogador contou que viveu o maior inferno de sua vida (Foto: reprodução / Instagram)

Fernandão precisou ajudar a esposa e a sí, voltar ao Brasil e desistir do sonho do futebol internacional. De volta ao país, ele reencontrou os filhos Davi, de 11 anos e Daniel, de 5. “É uma doença horrível que é difícil até de falar, porque só quem vive dentro de casa uma depressão sabe como é complicado. O que nos levantou foi a nossa fé. A gente luta todo dia para que essa doença não venha nos atingir”, desabafou. “Eu tive que fazer tudo. É difícil a gente enterrar uma filha né? A gente não quer isso”.

Ele contou que hoje precisam ter muito cuidado com Daiana, pois ela foi a mais afetada com o ocorrido. “A atenção hoje é redobrada porque a depressão pode entrar por qualquer brecha e quando vem é para destruir. Carregar um bebê durante nove meses, perdê-lo, passar por todo o procedimento médico e não ter a criança em seus braços é muito doloroso”. O casal atualmente está esperando um bebê, que se chamará Levi e diz que ainda tentarão uma menina. “Uma hora seremos abençoados”.

Leia também:

Filha do jogador Fernandão morre e torcedores enviam mensagens de apoio à família

Depressão pós-parto: por que você não deve cuidar só do seu bebê depois do nascimento

“Eu não quero enterrar minha filha”, diz mãe de menina de 10 anos que tentou suicídio por bullying

Fique por dentro do conteúdo do YouTube da Pais&Filhos: