Litoral de SP: bebê salva família por causa de choro e avó fala pela primeira vez sobre tragédia

A menina, de apenas três meses, salvou os pais após serem soterrados devido às chuvas no Guarujá, Litoral Sul do estado de São Paulo

Resumo da Notícia

  • A bebê tem apenas três meses de idade
  • Existem mais de 155 desabrigados no Guarujá
  • A família foi soterrada após as fortes chuvas
  • A avó fez um desabafo sobre o caso
Duas crianças não sobreviveram (Foto: reprodução / G1)

Na última terça-feira, 3 de março, uma família foi salva por causa do choro de uma bebê, após as fortes chuvas do litoral paulista, que provocaram alagamentos e outros desastres. Apesar de várias da tragédia deixar vários mortos e feridos no Guarujá, a menina de três meses pôde mudar a vida dos pais e irmãos.

-Publicidade-

Quem ouviu a criança foram os moradores do local, de acordo com o Bebê em Foco. Infelizmente, Aliffer Granero da Silva, de apenas seis anos, e Allana Granero de Oliveira, de três, irmãos da bebê, não conseguiram ser salvos.

A avó, Fabiana Granero, de 42 anos, abriu o coração e falou ao G1 que a família não conseguiu recuperar o que tinha: “O mais dolorido são as vidas que se perdem, nada paga isso. Minha filha e o marido só foram socorridos a tempo porque a bebê chorou e as pessoas conseguiram localizar onde eles estavam pelo choro da menina. Eles estavam cobertos de tantos escombros que foi mais de uma hora para a comunidade conseguir tira-los de lá. Mesmo assim, os três sobreviveram”, explicou.

-Publicidade-
A família foi salva pelo choro dela (Foto: reprodução / G1)

Os sobreviventes foram levados para o hospital e receberam os cuidados necessários. Já os irmãos da menina, que foram soterrados, tiveram os corpos encontrados pelos Bombeiros e foram sepultados na última quarta-feira, 4 de março.

Com um desabafo, Fabiana disse que a filha está sofrendo muito: “Minha filha está abalada, é um sentimento que não da para explicar. Todos choraram muito. O mais difícil é, só sermos enxergados pelo poder público em momentos de tragédia. Os moradores do morro precisam de estrutura”.

A avó afirmou ainda que a família está morando na casa dela e que precisam de doações de móveis, comida e utensílios de bebê, por perderem tudo. A Defesa Civil afirmou que até quarta-feira, 4 de março, haviam 155 desabrigados no Guarujá, seis em São Vicente e 37 em Santos.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-