Mãe descobre câncer na filha de 4 meses através de uma foto: “Fiquei em choque”

A australiana Jamie-Lee Schmitzer, depois de fotografar a criança, percebeu que os olhos dela estavam com cores diferentes. Ao consultar um oftalmologista, recebeu um diagnóstico de que se tratava de um tumor cancerígeno

Resumo da Notícia

  • A mãe dela percebeu uma diferença entre a cor dos olhos
  • O fato foi ignorado por meses
  • Depois que a criança começou a coçar muito o olho direito, eles foram para o médico

Que mãe que não ama fotografar os filhos? Foi de uma dessas fotos que a australiana Jamie-Lee Schmitzer conseguiu salvar a vida da filha Ivy-Mae. Em 2017, quando a criança tinha apenas 4 meses de vida, a mãe decidiu fazer um retrato dela, e assim percebeu que os olhos da filha estavam com cores diferentes na fotografia. O fato foi ignorado, mas com o passar do tempo, a íris da bebê continuou a escurecer, e só procuraram um médico depois que a menina começou a esfregar sem parar o olho direito, aos 9 meses.

-Publicidade-
O que começou com uma simples foto, se transformou em algo pior (Foto: Reprodução / Daily Mail)

Na consulta com o oftalmologista, o diagnóstico não foi um dos melhores: ela tinha um epitelioma, um tipo de tumor crescendo no interior do olho. Eu sabia que os olhos dos bebês têm tendência a mudar de cor à medida que crescem, mas tudo parecia muito estranho, então a levei ao médico imediatamente. Ouvir a notícia sobre o tumor foi absolutamente devastador e, no momento, meu parceiro e eu ficamos em choque”, disse a mãe, em entrevista ao Daily Mail Australia.

Como o tumor estava localizado muito perto do nervo óptico, fazer uma biopsia era muito arriscado, sobrando uma única solução, que era remover totalmente o globo ocular da criança. “Eu questionei se remover o olho dela era a coisa certa a fazer, mas confiei nos médicos e ela foi para o centro cirúrgico”, lembra a mãe. Depois da cirurgia, os resultados mostraram que o tumor era canceroso.

Meses após o procedimento, Ivy-Mae pode fazer uma prótese ocular. E hoje, aos 4 anos, ela está completamente bem e adaptada a nova condição. A mãe reforça que tenta ensinar a filha que está tudo bem ser diferente. “Eu tento mostrar a ela que o diferente é bonito, eu quero que ela sinta que está tudo bem. Já a peguei olhando no espelho e falando ‘Mãe, é diferente e lindo, não é?”.

Jamie-Lee agora compartilha toda rotina da filha nas redes sociais, com a esperança de que a história delas conscientize outras pessoas sobre a doença. “Falei com muitos pais desde então e muitos não sabem que o câncer pode ocorrer no olho ou que fazer”, finaliza.