Bebês

Mãe é proibida de ficar em pousada com bebê de 1 ano: “Senti como se minha filha fosse um animal”

Caso aconteceu em Juquehy, São Paulo

Isabella Zacharias

Isabella Zacharias ,Filha de Aldenisa e Carlos

A mãe alegou que não tinha nenhuma informação sobre a proibição de crianças no lugar (Foto: Getty Images)

A empresária Priscilla Manfredi decidiu viajar de carro pela primeira vez sozinha com sua filha, Serenna, de 1 ano, para Juquehy, no litoral norte de São Paulo. Contrariando as tensões que as mães geralmente sentem nessas viagens, o caminho foi tranquilo. O problema surgiu quando Priscilla chegou na pousada onde fizera a reserva: o lugar não aceitava bebês.

Priscilla disse, em entrevista para a Gazeta do Povo, que durante o atendimento a atendente ligou para duas pessoas para confirmar a informação de que ela e a filha não poderiam ficar ali. Ela também devolveu o pagamento e indicou outro local para Priscilla ficar com Serenna e esperar seu marido chegar.

“Fiquei na portaria após uma viagem de 3 horas, com muito calor, pessoas me olhando, sem saber o que fazer. Senti como se minha filha fosse um animal”, desabafou ao site Gazeta do Povo.

Priscilla revelou ao veículo que pediu para passar apenas uma noite no lugar, pois sua filha estava chorando muito, ela estava nervosa, com fome e com o celular sem bateria. A atendente ofereceu um suco para Serenna, mas não deixou que elas ficassem.

“Fiquei mal, chorei muito. Quando me acalmei, fui olhar o e-mail para ver se eu havia errado, e não havia nada sobre a proibição”, ela afirmou na entrevista.

Na política do site do local, existe um aviso de que crianças abaixo de 12 anos não são permitidas. Priscilla já tinha se hospedado na pousada há alguns anos, porém não visitou o site porque fechou o pacote no site Booking.com. Segundo ela, os contatos realizados pela empresa diziam que as proibições abrangiam apenas fumar no local e entrar com animais de estimação.

A Gazeta do Povo procurou o proprietário da pousada, Rodrigo Rocha, disse que essa política foi adotada em 2002 por conta da estrutura física.

“Foi uma decisão difícil, mas que vai de encontro a uma demanda de mercado atual por empreendimentos com esse perfil”, ele disse em nota. Rodrigo ressaltou que, na hora da reserva, o casal não informou que levaria um bebê.

A Booking.com declarou à Gazeta do Povo, que no dia que a reserva foi efetuada, “após a confirmação do recebimento dos dados da hóspede, a própria acomodação enviou um e-mail pelo sistema da Booking.com, informando a hóspede que eles somente acomodam maiores de 12 anos de idade, em razão de sua estrutura estar mais direcionada a casais e adultos”.

Movimento childfree

Infelizmente, este não é o primeiro caso. O movimento “Child Free”, “livre de crianças” em português, surgiu para apoiar as pessoas que optaram por não ser pais e se sentiam desvalorizadas por isso. Atualmente, o movimento criou outro significado: o “Space Child Free”, em que estabelecimentos escolhem proibir a entrada e a permanência das crianças.

Algumas pessoas dizem que, muitas vezes, o comportamento “mal educado” da parte das crianças e a omissão dos pais acabam sendo inconvenientes nos espaços públicos. De outro lado, as pessoas argumentam que isso é discriminação, pois é uma forma de proibição do livre arbítrio dos pais e das crianças.

O que diz a lei?

Segundo o Procon, não há nenhuma lei ou artigo no Código de Defesa do Consumidor que permita esse posicionamento por parte dos proprietários do estabelecimento.

Leia também:

Mãe é proibida de amamentar na creche das filhas e desabafo viraliza na internet

Criança é proibida de ir à escola por causa de trança colorida no cabelo

Absurdo! Mãe é proibida de assistir à aula em faculdade por estar acompanhada da filha