Mãe fica surpresa ao notar rápida recuperação da bebê após cirurgia: “Começou a respirar sem aparelho”

Solange Amaral Santos comentou sobre a vitória da filha, diagnosticada com Cardiopatia congênita e Síndrome de Edwards desde o momento em que veio ao mundo

Resumo da Notícia

  • Uma bebê de 8 meses finalmente fez cirurgia para tratar doença do coração
  • A mãe da menina ficou surpresa com a rápida recuperação da filha
  • A família aguarda ansiosamente pela alta da criança

Após 4 meses de espera, Mariana Mell Amaral Santos Demésio, de oito meses de vida, conseguiu passar pela tão aguardada cirurgia no Hospital das Clínicas José Alencar, em São Bernardo do Campo, para tratar a cardiopatia congênita, doença do coração que está presente desde seu nascimento. Com o sucesso do procedimento, a mãe da menina contou com exclusividade ao portal de notícias do g1 que foi surpreendida com a rápida recuperação da bebê.

-Publicidade-

De acordo com Solange Amaral Santos, em relato dado nesta sexta-feira, 04 de fevereiro, ela sempre acreditou no potencial da filha em vencer a doença, que além da cardiopatia também foi diagnosticada com a Síndrome de Edwards, condição que atrasa o desenvolvimento do bebê.

Mariana Mell Amaral Santos Demésio possui Síndrome de Edward e cardiopatia congênita
Mariana Mell Amaral Santos Demésio possui Síndrome de Edward e cardiopatia congênita (Foto: Reprodução Arquivo Pessoal)

“Ela, milagrosamente, começou a respirar sem aparelhos. Em uma semana, ela já estava respirando ar ambiente. Ela mesma arrancou o aparelho que estava conectado”, disse a mãe durante entrevista. Solange também conta que já conseguiu realizar atividades que antes não eram possíveis, devido a saúde debilitada de Mariana, que nasceu em Santos, no mês de maio de 2021.

“Foi muito mágico o primeiro banho que dei nela sem fios grudados. Dei uma volta com ela no quarto, fui até a janela e lhe mostrei o sol pela primeira vez. Ela é força. Me traz uma paz e uma calmaria ao meu coração”, continuou.

Solange bebê afirmou também que a bebê não conheceu a maioria dos familiares, apenas visitas do pai da menina, além da avó e da irmã. Agora, todos aguardam ansiosos pela alta de Mariana, que precisa ganhar mais peso para finalmente ir para casa. “Só quero tirá-la logo daqui, para ela não pegar uma bactéria. Mesmo com todos os ‘nãos’ dos médicos, eu sempre tive essa certeza [de que ela iria se recuperar]. Ela é espertinha e merece. Por isso, não meço esforços por ela. Vou sair daqui com ela nos meus braços, como prometi”, concluiu.