Menino sofre queimaduras de 3° grau após descuido da mãe e caso serve de alerta

Faye James não imaginava que isso poderia acontecer

Uma xícara de chá queimou um menino de 11 meses (Foto: Reprodução/ Kidspot)

A mãe Faye James ficou assustada com o filho de 11 meses quase morreu por causa de uma xícara de chá. Em um momento de distração, Faye colocou a bebida quente próxima do filho, em questão segundos a mãe começou a ouvir gritos. Hoje, os pais contam a história para que sirva de alerta.

-Publicidade-

A família tinha acabado de jantar e o menino estava feliz, pois tinha acabado de brincar em pé no sofá e estava todo feliz enquanto se mostrava para os pais. A mãe olhava para o filho enquanto ele dava os primeiros passos pela sala.

“Em um momento de estupidez, coloquei minha xícara de chá recém-preparada no parapeito do sofá e me virei para pegar um biscoito, e foi quando a vida de meu filho passou diante dos meus olhos”, desabafou a mãe ao Kidspot. De repente, os pais estavam ouvindo gritos pela casa e eles se assustaram quando encontraram o corpo do menino queimando e formando bolhas.

-Publicidade-

Imediatamente os pais levaram o garoto até o hospital mais próximo, o Hospital Manly, na Austrália. A mãe desesperada conta que chegou à emergência gritando “ajude meu filho por favor”. As enfermeiras correram ao resgate do menino. “A reação foi tão rápida, que pra mim ficou claro a gravidade do problema”, contou a mãe.

Logo em seguida, o menino estava sedado e enfaixado. Os pais foram avisados pela equipe médica que eles teriam que transportar o filho para um outro hospital para que a criança realizasse um tratamento para queimaduras de terceiro grau.

O garoto passa bem e não tem sequelas (Foto: Reprodução/ Kidspot)

No Hospital Infantil de Westmead, os pais foram informados que os médicos teriam que realizar várias cirurgias para reparar as áreas queimadas. Faye fez uma retrospectiva começou a reparar na situação: “O problema principal foi que não colocamos ele em água fria logo após o acidente, então as queimaduras foram muito graves. Se minha xícara tivesse mais líquido, meu filho poderia ter morrido, pois água fervente pode ser fatal para um bebê”, contou ao Kidspot.

Depois da primeira cirurgia, os pais relataram que foi a pior sensação do mundo. “Cada segundo estava cheio de pensamentos ansiosos e ‘e se’: ‘E se eu não tivesse decidido tomar uma xícara de chá? E se isso nunca passar?”.

Os meses seguintes foram difíceis para os pais. Idas e vindas ao hospital. E os sentimentos de medo, culpa  e tristeza abalavam o casal. Mas hoje, o menino está bem e não está com sequelas do acidente.

“Até hoje eu me arrependo de ter deixado aquela xícara perto dele. Tivemos sorte de ele ter sobrevivido a esse incidente, mas outros não. Pode ser fatal.”

10 dicas para evitar queimaduras na sua casa

Todos os anos 1 milhão de pessoas são vítimas de queimaduras. A maioria, cerca de 80%, se acidenta em casa, em situações do dia a dia. E do total, 40% tem menos de 10 anos. Ou seja, esse é um assunto que merece total atenção de pais e mães.

Conversamos com o cirurgião especializado em queimaduras do Centro de Trauma do Hospital 9 de Julho, Luiz Phillipe Molina, pai de Gabriel e João. Ele contou quais são os eventos mais comuns e como evitá-los:

1. Sopa quente queima mais que água quente – “Quando a água cai, ela se resfria e escorre, sem ficar muito tempo na região. Já o caldo da sopa é grosso e fica mais tempo em contato com a pele”, explica o cirurgião. O mesmo comparativo serve pra outras comidas muito quentes e café, por exemplo, que é quente mas também escorre.

2. A primeira coisa quando queimar: água, muita água – A água usada deve estar na temperatura ambiente, que é de mais ou menos 25ºC. Isso porque, de acordo com o cirurgião, a água fria evita que a queimadura continue lesionando a pele nas camadas intermediárias que ela tem. Se a queimadura for pequena, como por exemplo na mão, leve a criança para a torneira. Se for mais grave, já para o chuveiro direto. Depois do banho, toalhas e roupas limpas, pra evitar infecção.

3. Borra de café na ferida e teia de aranha na ferida? – É uma lenda antiga do interior e algumas pessoas ainda usam. Mas acredite: não só não resolve como piora ainda mais a situação. “O local já está frágil e sujeito a infecção. Colocar uma coisa suja sobre ela só piora”, alerta o especialista.

4. Pasta de dente e pomada também estão proibidas – Primeiro, porque ao chegar no hospital a meleca vai precisar ser retirada pra limpar. Segundo, porque podem irritar ainda mais a pele. “Eles podem conter produtos químicos que não se sabe o que vão causar”, diz Molina.

5. Gelo também não pode – E porque água fria pode, então? “Porque o gelo também queima, como o fogo, mas por temperatura negativa”, explica o cirurgião.

6. Ao aquecer a comida da criança no microondas ou a água do banho, prove sem ela no colo – Segundo Molina, se a mãe errou na mão e na hora de provar na pele de fato estava quente demais, a tendência é que ela faça um movimento de defesa com os braços e derrubar no filho sem querer. “Às vezes ela não sente mesmo”, alerta.

7. Fios de tomada o mais escondidos possível, principalmente se forem velhos – “Os fios de mais tempo costumam ser mais endurecidos e apresentar pequenas rachaduras. Se a criança morder o fio, com o o contato com a saliva, que é um bom condutor de eletricidade, ela pode queimar a boca”, alerta. No caso de tomadas sem fio, opte pelas tampas, que são muito baratas.

8. Cuidado com velas, fósforos e isqueiros em casa – O ambiente pode ficar super gostoso com velas no quarto do bebê, mas o cirurgião alerta: o colchão e a manta do berço podem ser as primeiras vítimas. Fósforos e isqueiros sempre longe das crianças. O mesmo alerta vale na hora de acender a churrasqueira: no clima de festa em família, os pais podem não perceber que jogar álcool no carvão e crianças por perto não combinam.

9. Panelas com os cabos sempre virados pro lado de dentro do fogão – Assim a criança que está passando espoleta pela cozinha não corre o risco de bater as mãos no cabo e a panela virar com o que tiver dentro.

10. Se for usar ferro de passar ou chapinha de cabelo, não use toalhas sobre a mesa – Se ela for muito comprida, a criança pode puxar e o que estiver em cima pode cair.

Consultoria: Luiz Phillipe Molina, pai de Gabriel e João, é cirurgião especializado em queimaduras do Centro de Trauma do Hospital 9 de Julho

Leia também:

Criança sofre queimadura química causada por tatuagem de henna

Mãe usa produto incomum para curar queimadura de 2º grau do filho e resultado impressiona

Como lidar com as queimaduras do sol? Nosso pediatra tira as suas dúvidas

-Publicidade-