Método BLW: saiba tudo sobre a introdução alimentar sem papinha

Pensando em dar mais autonomia para a criança na hora de introduzir alimentos sólidos? O método BLW, que significa “desmame conduzido pelo bebê”, é uma ótima aposta que traz vários benefícios para o seu filho

Resumo da Notícia

  • A partir dos seis meses de idade, o bebê deixa de ser alimentado exclusivamente com o leite da mãe
  • Começa, então, a fase da introdução alimentar, que é extremamente importante para o desenvolvimento do bebê]
  • Uma das maneiras de ofertar comida para a criança é por meio do método BLW, que dá alimentos sólidos em vez de papinhas

A jornada da maternidade começa com a descoberta da gravidez, logo quando o teste de farmácia ou de sangue dá positivo ou quando os primeiros sintomas dão as caras e surge aquela desconfiança que te faz pensar “será?”. Mas é depois do trabalho de parto e do nascimento do bebê que é dada a largada para a viagem mais insana e intensa da sua vida: criar e educar um ser humano do zero.

-Publicidade-

De cara, um dos maiores desafios para as mães de primeira (segunda, terceira…) viagem é a amamentação. O que dizem ser instintivo, na verdade, é algo que requer muito estudo, ajuda e paciência para que a pega correta aconteça e não haja nenhum problema durante as mamadas do bebê. Afinal de contas, o leite materno é extremamente importante para o desenvolvimento do bebê – não é para menos que a Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza a amamentação exclusiva com o leite da mãe por seis meses, e que esse momento se extensa até, pelo menos, os dois primeiros anos de vida da criança.

Depois que o bebê completa seis meses e já entrou no processo de ganhar seus dentes de leite, entra em cena uma nova etapa da fase de alimentar o seu filho: a introdução alimentar. É durante esse momento que a criança entra em contato pela primeira vez com vários tipos de comidas e nutrientes diferentes – e também é quando ela vai aprender a comer e levar para o resto da vida hábitos saudáveis. Oferecer uma grande variedade nutritiva de alimentos diferentes é fundamental para que seu filho cresça cheio de saúde.

A introdução alimentar é uma importante fase de desenvolvimento, mas durante a adaptação, o leite materno continua sendo importante
A introdução alimentar é uma importante fase de desenvolvimento, mas durante a adaptação, o leite materno continua sendo importante (Foto: Shutterstock)

A introdução alimentar costuma acontecer inicialmente com papinhas, que são alimentos cozidos e amassados ou batidos e facilmente deglutidos pelo bebê. No entanto, essa não é a única forma que existe de ofertar comidas para a criança que está passando pela introdução alimentar. O método BLW, cujo nome vem do termo em inglês “Baby Led Weaning”, significa “desmame conduzido pelo bebê” e dá mais autonomia para o seu filho.

Como fazer o método BLW

A grande vantagem do BWL em relação ao método tradicional é que ele estimula a autonomia desde cedo, porque permite a livre escolha de alimentos e quantidades. Ele propõe que a criança participe de todas as refeições da família e use as mãos para comer, o que faz com que ela descubra novas texturas e, simultaneamente, treina habilidades motoras e sociais.

Para colocar o método BLW em prática durante a introdução alimentar do seu filho, existem algumas “regras” que devem ser seguidas pensando em como aproveitar esse momento da melhor maneira possível em família e também na segurança do bebê:

  • Coloque o bebê para sentar junto com toda a família durante as refeições
  • Disponibilize alimentos que o bebê consiga segurar com as mãos e leve sozinho à boca, por exemplo, banana em pedaços, batata cozida, caqui
  • Coloque a criatividade para funcionar e use alimentos com cores variadas e formatos variados
  • Não ofereça nada, ponha ao alcance das mãos e ele escolhe o que pegar e o que comer
  • Os bebês de 6 meses ou mais conseguem curtir a experiência sozinhos, eles mastigam e engolem muito bem
  • Comece pelos alimentos in natura e vá acrescentando outros a cada tempo, à medida que os dentes forem aparecendo e que o bebê for demonstrando interesse
  • Tiras de carne e frango também podem aparecer. No início, a criança vai apenas chupar. Depois começa a tirar pequenos pedaços
  • Fique tranquilo! Ele não vai engasgar
  • A comida que a família come também pode ser oferecida mais adiante, desde que seja saudável
  • Não insista! Proporcione a variedade e aproveite a farra com o bebê
O método BLW incentiva uma alimentação com autonomia para a criança desde cedo
O método BLW incentiva uma alimentação com autonomia para a criança desde cedo (Foto: Getty Images)

A bagunça faz parte

Autonomia, praticidade, várias habilidades sendo praticadas ao mesmo tempo, não há necessidade de preparar a comida de uma maneira diferente para o bebê… a lista de pontos positivos que o método BLW traz para o bebê e os pais é enorme! No entanto, esteja preparado: ele também demanda mais tempo após as refeições, já que a criança se suja bastante (assim como o cadeirão e o chão do local onde está sendo alimentado).

A bagunça faz parte e não deve ser encarada como um ponto negativo ou desestimulante. Porque a criança tem em mãos a comida, ela vai descobrir de formas intensas e variadas quais são as texturas, cores e sabores do alimento que está sendo ofertado para ela – seja amassando o brócolis entre os dedos e deixando cair tudo na roupa e no chão, seja passando o feijão na cabeça.

O principal lema da maternidade é esse aqui: tudo é fase e vai passar. Em breve, os momentos de bagunça e muita sujeira que seu filho faz durante a introdução alimentar serão transformados em uma maneira cheia de autonomia de comer com talheres. Aproveite ao máximo!

É na introdução alimentar que a criança começa a conhecer os alimentos, então é necessário ofertar todos os tipos de comidas e incentivar uma alimentação saudável
É na introdução alimentar que a criança começa a conhecer os alimentos, então é necessário ofertar todos os tipos de comidas e incentivar uma alimentação saudável (Foto: Getty Images)

O método BLW pode causar engasgos?

Bebês em idade de introdução alimentar têm com frequência o reflexo de GAG, uma manifestação espontânea do corpo que impede que a criança engasgue com pedaços de comida. Conforme ela se desenvolve e avança no processo de conhecer as comidas, a quantidade de vezes que o reflexo acontece diminui.

O reflexo de GAG acontece quando a criança engole a comida e logo depois a regurgita, colocando a língua para fora e fazendo barulhos de quem vomita. Ele é um movimento involuntário e protetor das vias aéreas, que impede que um engasgo aconteça. Segundo o dr. Eduardo Rosset, pediatra e pneumologista, pai de Sophia e Carolina, o reflexo aparece principalmente em bebês que estão em fase de introdução alimentar de papinhas, frutas e outros alimentos – inclusive quando os pais optam pelo método BLW. Mas, conforme a criança se desenvolve e aprende a consumir aquela comida, o número de manifestações clínicas do reflexo de GAG vai diminuindo.

Vale ficar de olho em alguns alimentos que fazem parte da introdução alimentar do bebê e na maneira como eles são ofertados. Alguns exemplos que podem causar reflexos de GAG com maior frequência são:

  • uva
  • tomate cereja
  • ovos de codorna inteiros
  • frutas secas inteiras
  • alimentos com cascas finas, como a berinjela
  • alimentos redondos ou com cortes arredondados
  • comidas que podem formar um “bolo” alimentar no céu da boca, como pães