Bebês

Nova descoberta: crianças sem marca da vacina no braço não precisam tomar segunda dose

A BCG protege seus filhos contra a tuberculose

Izabel Gimenez

Izabel Gimenez ,filha de Laura e Décio

Crianças sem marquinhas não precisam de segunda dose! (Foto: Getty Images)

Por muito tempo, existia uma dúvida se as crianças que receberam a dose de BCG, contra a tuberculosa, e não ficaram com a famosa “marquinha”, estavam realmente protegidas. Até agora, era recomendado que os filhos que não tivessem a cicatriz procurassem um médico especializado para examinar e talvez tivessem que tomar a segunda dose.

Na terça-feira (5), o Ministério de Saúde junto com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Comitê Técnico Assessor de Imunizações divulgaram um estudo que afirma que essas crianças não precisam ser revacinadas. A cicatriz pode aparecer em até 6 meses depois da aplicação, mas não é uma regra e não tem ligação com a eficácia da vacina.

Sempre bom lembrar! 

A única maneira de prevenir a tuberculose em crianças é tomando a vacina BCG. Ela é gratuita e pode ser tomada no Sistema Único de Saúde (SUS) assim que o bebê nascer, ainda na maternidade, ou na primeira visita ao hospital. Quanto antes, melhor! Fora a tuberculose normal, a vacina também protege contra a tuberculose miliar e a meníngea. De acordo com o médico pneumologista Marcus Conde, professor da UFRJ e pai de Raphael e Bruna, o bebê tem 50% de chance de desenvolver a doença depois de ser infectado, já para os adultos cai para 10%.

Leia também:

Pais que não vacinam são responsáveis pelo maior surto de catapora em Estado americano, mostra investigação 

A resposta desse médico ensinou uma lição para as mães que não querem vacinar os filhos

OMS divulga como as novas vacinas contra gripe devem ser feitas