Bebês

O afeto faz toda a diferença na recuperação do bebê prematuro

Sua presença tem muito mais poder na vida do seu filho do que você imagina

Jéssica Anjos

Jéssica Anjos ,filha de Adriana e Marcelo

closeup-of-newborn-baby-picture-id825469398

(Foto: iStock)

Quando um bebê nasce, os pais têm diversas preocupações. Quando se trata de um nascimento prematuro as dúvidas e angústias vêm em dobro. Mas a gente está aqui para lembrar que não existe um culpado e a sua presença é a melhor forma de ajudar seu filho a se desenvolver e poder ir para casa com a família.

“Nós sabemos que há diferentes formas de lidar com o processo de cuidados em casos de prematuridade no Brasil, mas quanto mais os pais estiverem presentes conversando e interagindo com este bebê, melhor”, explica a pediatra Desirée Volkmer, chefe do Serviço de Neonatologia do Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre, mãe de Nathalia e Jordana.

A tecnologia também tem ajudado bastante os prematuros. A maneira como os bebês são cuidados é bem diferente de tempos atrás. Para você ter uma ideia há uma ventilação mecânica mais delicada, terapia respiratória mais específica e um maior cuidado para o controle de infecções. Estas melhorias atreladas à presença constante dos pais são a fórmula para para aumentar as chances desse bebê sobreviver.

“Cada etapa é uma batalha vencida, nós lutamos para que a família possa estar mais perto. Esta afetividade constante pode contribuir para o desenvolvimento neuropsicológico, motor e emocional da criança”, explica a especialista.

Leia também:

Reação de mãe ao dar à luz a um bebê de 5 Kg faz sucesso nas redes

Huggies lança fralda para bebês prematuros com menos de 1kg

“Abraço é uma necessidade humana”, afirma Anna Chiesa, professora de enfermagem da USP