O poder do toque para a pele do bebê desde a gestação

O contato pele a pele ajuda os bebês a se desenvolverem melhor desde o nascimento

Resumo da Notícia

  • O toque é uma das principais formas de se conectar com o recém-nascido
  • O contato pele a pele demonstra carinho e segurança para o bebê
  • A massagem é uma forma superespecial de transmitir amor para o seu filho, além de deixá-lo relaxado

O toque é uma das primeiras e principais formas de se conectar com o seu filho desde a gestação. O contato pele a pele ajuda os bebês a se desenvolverem melhor desde o nascimento. Não à toa, a partir da 18ª semana de gravidez, o bebê já é capaz de reagir ao toque das mãos da mãe! Estudos mostram que os recém-nascidos que são tocados com frequência demonstram 50% mais contato visual e têm uma probabilidade três vezes maior de ter uma expressão positiva com o que está ao seu redor, em comparação com os bebês que não são tocados.

-Publicidade-
O contato pele a pele ajuda os bebês a se desenvolverem melhor
O contato pele a pele ajuda os bebês a se desenvolverem melhor (Foto: Getty Images)

Outra pesquisa feita pela Universidade de Dundee, no Reino Unido, com mulheres entre a 21ª e a 33ª semana de gestação, descobriu que os bebês reagem mais ao toque do que à voz da mãe quando estão no útero. Depois do nascimento, o poder do toque é tão grande que promove bem-estar e dá segurança ao bebê. E a ciência comprova isso mais uma vez: o  Instituto de Pesquisa do Toque, da Universidade de Miami, comparou dois grupos de bebês prematuros hospitalizados. O primeiro grupo foi tocado em situações cotidianas, como para a alimentação e a troca de fraldas. Já o segundo grupo recebeu toques por 15 minutos, três vezes ao dia. Depois de vinte dias, os bebês do segundo grupo ganharam 47% mais peso do que os demais, além de receberem alta do hospital antes.

Durante os primeiros meses de vida, o desenvolvimento do recém-nascido é moldado pelo toque e o som, já que o campo visual dele ainda não está completamente formado. O contato pele a pele dos bebês pode ajudar a definir como o cérebro responde ao toque, o que ajuda na criação do vínculo entre pais e filhos desde o nascimento.

o desenvolvimento do recém-nascido é moldado pelo toque e o som
O desenvolvimento do recém-nascido é moldado pelo toque e o som (Foto: Getty Images)

A importância da massagem para a criação de vínculos

A massagem é uma das melhores formas de construir e fortalecer a conexão entre os pais, mães, cuidadores e o bebê. Além de ajudar na criação de laços cheios de afeto por meio do toque, a massagem pode ajudar a acalmar o bebê, reduzir o choro, ajudar na digestão, melhorar a textura da pele e fortalecer o sistema imunológico. Veja um passo a passo para fazer a massagem no seu bebê:

1. Começando abaixo da costela, massageie a barriga de seu bebê, usando movimentos circulares no sentido horários (essa direção ajuda na digestão);

2. Não se intimide – você não precisa ser especialista para fazer! É só começar pela região dos pés e fazer uma leve cócega na barriga;

3. Após o banho do bebê é um momento ideal para uma massagem. Ele já está sem roupa e a pele está úmida – o momento perfeito para aplicar um óleo ou uma loção;

4. Coloque óleo ou loção na palma da mão e esfregue as mãos juntas, o que aquece a loção e as suas mãos e ajuda em uma massagem mais confortável e agradável;

5. Usando toda a sua mão, massageie gentilmente cada perna, colocando pouca pressão nas coxas. Flexione as pernas e joelhos do seu bebê, o que vai empurrar suavemente as coxas do dele contra o seu corpo;

6. Com o polegar, pressione gentilmente cada dedo, a sola do pé e então os dedos novamente. Depois faça carinho em cada um dos dedos e use movimentos circulares para massagear os pés;

Use movimentos pausados e rítmicos enquanto você estiver massageando o seu bebê;

A massagem pode acalmar o bebê
A massagem pode acalmar o bebê (Foto: Getty Images)

8. Com o bebê de barriga para baixo, faça grandes e pausados movimentos em volta da cabeça, pescoço, costas e pernas, indo sempre na mesma direção. Faça carinhos suaves nos ombros e nas costas e massageie essas áreas com a ponta dos dedos, usando pequenos movimentos circulares. Cuidado para não pressionar a coluna do bebê;

9. Forme um anel com o seu dedo médio e o polegar em torno do braço do seu bebê. Faça carinho na região da axila e, em seguida, massageie todo o braço até as mãos. Seja gentil – especialmente no cotovelo, uma área muito sensível;

10. Comece pelo toque na testa, têmporas e na parte inferior do crânio. Mexa nas sobrancelhas e pálpebras, no nariz, nas bochechas, ao redor da boca, nos ouvidos e seus arredores.

Quais produtos usar para fazer massagem?

Para fazer a massagem no corpo do bebê, você pode usar dois produtos: óleo ou uma loção hidratante.

Óleo

O produto é ideal para fazer massagens, como a shantala, promovendo um momento repleto de carinho e cuidado. Além disso, ele é ótimo para evitar a perda de água do corpo, principalmente no inverno. Formulado com óleos vegetais e vitamina E, os óleos da Granado protegem e nutrem a pele do bebê.

Os óleos da Granado são livres de conservantes, corantes, óleo mineral e ingredientes de origem animal
Os óleos da Granado são livres de conservantes, corantes, óleo mineral e ingredientes de origem animal (Foto: Divulgação)

Loção Hidratante

Ela ajuda a manter a pele hidratada desde o nascimento do bebê e pode ser usada antes, durante ou depois da massagem. Além de ser possível usar todos os dias, o hidratante auxilia na reposição de água e gordura que a pele costuma perder normalmente. Nas peles sensíveis, ele pode aliviar coceiras e vermelhidão, inclusive evitar os ressecamentos e irritações causadas por diversos fatores.

Formulado com ceramidas, alantoína, proteínas do trigo, da aveia e amêndoa doce, manteiga de karité e óleo de girassol, a loção Hidratante Dermocalmante da Granado hidrata profundamente e restaura a barreira protetora da pele.

A Loção Hidratante Dermocalmante da Granado é formulada com ceramidas, alantoína, proteínas do trigo, da aveia e amêndoa doce, manteiga de karité e óleo de girassol (Foto: Divulgação)