Pai tenta burlar dia do nascimento do filho: “Não quero que ele seja associado a 2020”

O homem, que preferiu não se identificar, fez um desabafo na rede social Reddit após ser repreendido pela equipe médica e familiares

Resumo da Notícia

  • Um homem tentou fraudar o documento de registro do filho
  • Tudo para que ele não nascesse em 2020, por conta da pandemia
  • O rapaz desabafou nas redes sociais depois do plano dar errado

É praticamente impossível citar o ano de 2020 sem lembrar da pandemia do novo coronavírus. Por isso, um pai de 34 anos resolveu burlar as regras para garantir que o nascimento do filho não seria relacionado com a “era da Covid”.

-Publicidade-
Uma enfermeira percebeu a fraude (Foto: Getty Images)

O homem usou a rede social Reddit para desabafar e contar o caso, mas preferiu não revelar sua identidade. Ele começou explicando que o bebê nasceu às 23h05 do dia 31 de dezembro, mas decidiu mudar a data por ter “odiado tanto” o ano de 2020.

Por isso, ele registrou o menino como nascido em 2021, exata 1 hora depois do momento em que o parto de fato ocorreu. Ele mesmo revela que já estava dado por vencido quando uma enfermeira percebeu a fraude.

-Publicidade-

“Eu disse que ela estava fazendo um grande alvoroço por causa disso. E que é injusto com meu filho, porque ele viveu em 2020 por apenas uma hora”, explicou o pai no texto, e continuou: “Além disso, 2020 foi um ano de m****. Estou feliz que finalmente acabou e não quero que meu filho seja associado a isso. Portanto, adicionar 2021 faria mais sentido. Eu disse a ela que não importava e que era melhor assim”.

A profissional da área de saúde tentou rebater a decisão do pai, alegando que aquele ato era considerado “falsificação”, mas ele disse que assumia “total responsabilidade por tudo o que acontecesse depois”.

Inconformada, a enfermeira pediu ajuda de outros colegas de trabalho e, de acordo com o relato, os ânimos ficaram exaltados, com um pediatra “levantando a voz”. Mas ele seguiu: “Eu disse que sou o pai e tenho autoridade”.

Com várias idas e vindas, os médicos conseguiram impedir o registro do documento. “Odeio 2020 e gostaria que nunca tivesse existido”, continuou explicando no desabafo. A equipe do hospital não foi a única a repudiar a atitude do pai.

Ele mesmo contou que os familiares o chamaram de “louco e controlador”. No próprio Reddit, vários usuários criticaram a decisão do homem, assim como no Twitter quando prints do relato foram divulgados. “É como ver uma criança tendo um acesso de birra”, “O cara achou que só ele teve um ano difícil e, portanto, discutiu com os profissionais médicos que, é claro, tiveram um ano leve e alegre”, escreveram.