Pais fazem queixa após funcionária não querer registrar bebê com nome Lucifer

O caso aconteceu no Reino Unido e o casal disse que se sentiu constrangido com a situação. O local também se manifestou sobre o assunto

Resumo da Notícia

  • O casal escolheu o nome Lucifer por achar bonito e único
  • Mas a moça do cartório não quis registrar
  • Depois da confusão, os pais prestaram uma queixa formal

Escolher o nome do filho é um momento especial. Um casal inglês teve muita dificuldade para registrar o bebê após decidir que se chamaria Lucifer. Segundo contaram ao The Sun, a funcionária que estava no local não queria registrar o menino com esse nome.

-Publicidade-
O casal contou que escolheu o nome por ser bonito e único (Foto: Getty Images)

Por conta disso, Dan e Mandy Sheldon fizeram uma queixa formal questionando a forma como foram tratados. “Estávamos empolgados em registrá-lo, mas a mulher nos olhou com total desgosto”, justificou o pai.

O pai continuou a explicar: “Ela falou que Lucifer nunca seria capaz de arrumar um emprego e que os professores não gostariam de ensiná-lo. Tentei explicar que não somos pessoas religiosas, e Lucifer em grego significa ‘portador da luz’ e ‘manhã’, mas ela não quis ouvir”.

-Publicidade-

Na queixa, ambos afirmam que a mulher até disse que o filho “não teria sucesso na vida” por conta do nome: “Ela ainda disse que era ilegal nomear uma criança assim na Nova Zelândia e que talvez pudéssemos dar outro nome, mas chamá-lo de Lucifer em casa“.

Dan contou que a escolha do nome se deu por ambos acharem “bonito e único”, e que não esperavam ter tanta dificuldade por isso. O Conselho do Condado de Derbyshire, onde foi feito o registro, também se manifestou.

“Pedimos desculpas se eles se sentiram ofendidos, mas é dever dos nossos notários aconselhar nesses assuntos, pois às vezes as pessoas não têm conhecimento de certos significados ou associações em torno de certos nomes”, disseram.

-Publicidade-