Pais são separados de bebê de 11 meses após criança se infectar com covid-19 em Hong Kong

Por lá, as medidas de política de covid zero tem levado famílias a serem separadas para manter o isolamento social. Laura e Nick tem mantido contato com a pequena Ava por meio de vídeochamadas do hospital em que a menina está internada

Resumo da Notícia

  • Pais são separados de bebê de 11 meses em Hong Kong
  • Por lá, as medidas de política de covid zero tem levado famílias a serem separadas para manter o isolamento social
  • Laura e Nick tem mantido contato com a pequena Ava por meio de vídeochamadas do hospital em que a menina está internada

Laura e Nick foram separados de Ava, de 11 meses de idade, em vista da política de covid zero instaurada em Hong Kong, na China. Por lá, o casal está tendo que manter contato com a bebê por meio de videochamadas feitas do hospital em que a menina está internada.

-Publicidade-

O país tem imposto para a população a testagem obrigatória, e o movimento tem separado muitas famílias. Ava está se recuperando no hospital desde que testou positivo para a covid-19 na última segunda-feira, 21 de fevereiro. Para a CNN Internacional, Laura e Nick compartilharam uma das chamadas de vídeo que fizeram com a filha.

Laura mantém contato com Ava por meio de videochamadas
Laura mantém contato com Ava por meio de videochamadas (Foto: Reprodução/ Arquivo Pessoal/ CNN Internacional)

“Bubba, nós te amamos… nós vamos buscá-la, querida. Nós iremos”, diz Laura, em prantos, enquanto tenta consolar a filha. “Enfermeira, apenas dê um pouco de conforto a ela, por favor”, pede ainda a mãe, para a funcionária coberta dos pés à cabeça com uma roupa especial para prevenção contra o coronavírus.

Ainda em entrevista a CNN, Laura desabafou sobre a separação com Ava. “Estamos apenas indefesos. Estamos realmente indefesos. Não é o melhor para ela que esteja sem nós. Ela precisa de nós e nós precisamos dela”, disse ela. Agora, o casal está torcendo para testar positivo para a covid, para que possam se reunir a filha no Hospital Queen Mary, em Hong Kong. O país tem adotado rígidas medidas de segurança contra a covid-19 como forma de evitar uma quinta e ainda mais letal onda da doença.