Bebês

Prematuridade: 9 coisas que toda mulher precisa saber antes de se tornar mãe

A neonatologista Edinéia Vaciloto Lima respondeu as principais dúvidas sobre o assunto

Cinthia Jardim

Cinthia Jardim ,filha de Luzinete e Marco

O “Novembro Roxo” conscientiza sobre o nascimento prematuro (Foto: Getty Images)

No último domingo, 17 de novembro, foi comemorado o Dia Mundial da Prematuridade, além de ser acompanhado por um mês inteiro sobre a conscientização, que é o “novembro roxo“. O nascimento prematuro é uma das principais causas de mortalidade infantil no mundo. Apenas no Brasil, um bebê morre por causa da antecipação do parto, a cada 30 segundos, de acordo com a ONG Prematuridade.com.

Com os avanços da medicina, a taxa de sobrevida tem aumentado a cada ano, mas você sabe todas as respostas sobre assunto? Edineia Vaciloto Lima, neonatologista e chefe responsável pela UTI Neonatal da Maternidade Pro Matre Paulista, respondeu as principais dúvidas sobre prematuridade.

  • 1. Como a prematuridade pode ser definida e quando um bebê pode ser considerado prematuro?

A prematuridade significa a interrupção da gravidez e a não-formação total dos órgãos de um bebê. Um bebê que nasce antes de 37 semanas de gestação é considerado prematuro.  São divididos em “prematuros extremos”, os que vieram ao mundo antes das 28 semanas. Temos também a faixa de prematuros considerados “intermediários” que nascem entre 28 e 33 semanas. E grupo dos “prematuros tardios” que nascem entre 34 até 36 semanas e 6 dias.

  • 2. Quais são os principais motivos de uma criança nascer prematura?

A prematuridade tem causas multifatoriais, como idade materna, gestação múltipla, ou a predisposição ou o diagnóstico de uma patologia que favoreça a prematuridade, como pressão alta, diabetes, bolsa rota ou outras intercorrências clínicas ou obstétricas.

  • 3. É possível prevenir a prematuridade? Existe algum tipo de tratamento?

A prevenção da prematuridade é feita com pré-natal rigoroso que a acompanhe desde o início da gestação. Além disso, a mãe deve seguir todas as orientações médicas como uma dieta saudável e a prática de exercícios físicos.

As Unidades de Terapia Semi-Intensiva são aliadas na prevenção da prematuridade. Durante o pré-natal são identificadas as gestações de risco e nesses casos, as Semi-Intensivas são indicadas para postergar o nascimento do bebê. Nessas Unidades, uma equipe multidisciplinar coordenada pelo obstetra, monitora a gestante e o feto, na busca pelo melhor momento para o parto. Manter a gestante internada durante uma gravidez de risco é importante para ganhar mais tempo do feto no útero da mãe, o melhor lugar para o desenvolvimento do binômio. Um dia no útero equivale sete dias a menos na UTI Neonatal nos casos de prematuridade extrema.

O cuidado em casa, mesmo com repouso absoluto, pode parecer mais cômodo e melhor para a mãe e o bebê, mas pode ser arriscado. Os deslocamentos para exames e consultas podem ser estressantes e, algumas vezes, pouco eficientes diante do quadro clínico da gestante ou da condição do feto no momento da avaliação. A vigilância em tempo real é viável somente em ambiente hospitalar, onde há maior gama de recursos, com especialistas de variadas áreas e o melhor tratamento para as gestações de risco.

  • 4. Assim que ele nasce, quais os principais procedimentos médicos que precisam ser feitos?

Os primeiros atendimentos devem ser feitos ainda na sala de cirurgia ou na sala de parto. Existe uma equipe multiprofissional preparada para receber um bebê prematuro, onde será realizada a reanimação do bebê, procurando fazer um controle da temperatura corporal e deverá ter um suporte respiratório caso exista necessidade.

A cada ano, a sobrevida de bebês prematuros tem aumentado (Foto: Getty Images)

  • 5. Quais complicações podem ocorrer depois do nascimento?

A maior preocupação com o prematuro logo após o nascimento está relacionada à respiração, essencial para a vida, e que nascidos antes do tempo geralmente apresentam dificuldade. Além disso, como os órgãos não foram plenamente desenvolvidos é preciso monitorá-los para evitar problemas cardíacos, renais e intestinais.

  • 6. A mãe apresenta algum sintoma na gestação quando o bebê tem chances de nascer prematuro?

Contrações antes da data prevista do parto, rompimento precoce da bolsa, aumento da pressão arterial e sintomas de infecção urinária podem ser sintomas de partos prematuros.

  • 7. As chances de um bebê prematuro sobreviver hoje são grandes?

O bebê prematuro nos últimos 20 a 30 anos, nos grandes centros de tratamento nacionais e internacionais, tem sobrevida muito alta. Os bebês nascidos após 28 semanas têm mais de 90% de chance de sobreviver. A sobrevida diminui conforme quanto menor for a idade gestacional. A média geral de sobrevida de um prematuro extremo nos grandes centros gira em torno de de 60 a 70%.

  • 8. Como funciona o calendário de vacinação para bebês prematuros?

Buscamos que a imunização seja realizada a partir dos 60 dias de vida, inclusive se ainda estiver internado, tudo vai depender da condição clínica do bebê, mas preferencialmente seguimos o calendário de vacinação habitual.

  • 9. Qual a importância do método canguru para a criança?

O método canguru é extremamente importante e recomendamos fazer o mais precocemente possível a depender da estabilidade do prematuro. O contato pele a pele é um momento de muita tranquilidade para o bebê dentro da UTI Neonatal, a flora presente na pele da mãe e do pai beneficia a imunidade e esse método também auxilia no ganho de peso do bebê. Esse contato com os pais estabiliza o filho e auxilia na criação de vínculos afetivos.

Leia também:

Novembro roxo: “Não sabia sobre colo de útero curto e que meu filho poderia nascer prematuro”

Novembro roxo: também precisamos cuidar das mães de bebês prematuros

Útero artificial consegue gerar filhotes prematuros e poderá ser a esperança do futuro