Recém-nascida morre em hospital após ser abandonada embaixo de ponte pela mãe

Segundo a mãe, ela contou ao Samu que tinha sofrido um aborto e por isso conseguiu ser atendida no hospital, mas os médicos constataram que o cordão umbilical havia sido cortado

Resumo da Notícia

  • Uma recém-nascida morreu no hospital no último sábado
  • A mãe abandonou a bebê embaixo de uma ponte após o parto
  • A mulher contou que sofreu um aborto mas, os médicos perceberam que o cordão umbilical havia sido cortado

Uma recém-nascida não resistiu ao ser levada para o hospital, pois tinha sido abandonada embaixo de uma ponte no Rio Cuiabá, no último sábado pela própria mãe. O caso aconteceu em Mato Grosso e a jovem de 27 anos confessou o crime após o parto.

-Publicidade-

De acordo com a Polícia Civil, a mãe da criança havia dito que sofreu um aborto na rua. Ela foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhada a uma maternidade em Cuiabá. No hospital, os médicos constataram que não se tratava de uma situação de aborto, pois o cordão umbilical havia sido cortado.

A recém-nascida não resistiu ao chegar no hospital, após ser abandonada embaixo da ponte
A recém-nascida não resistiu ao chegar no hospital, após ser abandonada embaixo da ponte (Foto: Getty Images)

Segundo a polícia, em conversa com a mulher, ela confessou ter abandonado a criança. A bebê foi encontrada ainda viva por familiares da suspeita embaixo da ponte, na região do Porto de Cuiabá. A recém-nascida estava em uma moita, enrolada em um pano. A equipe do Samu foi acionada e a encaminhou ao hospital, mas ela não resistiu e morreu logo após dar entrada na unidade de saúde. A Polícia Civil informou que investiga o caso.

No início do mês, um bebê recém-nascido foi deixado no chão da rua em Camaragibe, município de grande Recife, e possivelmente encaminhado para a adoção, segundo o conselho tutelar. O conselheiro explicou que tentou deixar o bebê com a tia, com a avó e também familiares mais próximos, mas todos se recusaram a ficar com a criança. “O Conselho Tutelar só orienta o antigamente de uma criança depois de cessar todas as buscas”.