Bebês

Recém-nascido não respira por 2 minutos após o parto e surpreende os médicos

O caso aconteceu no leste chinês

Letícia Vaneli

Letícia Vaneli ,filha de Alcides e Eugênia

(Foto: Reprodução)

Após realizarem uma cesárea de emergência, os médicos do Hospital de Maternidade e Saúde Fujian, localizado leste chinês, se surpreenderam com um bebê recém-nascido. isso porque o garoto não respirou sozinho por cerca de dois minutos após o parto.

“Recém-nascidos, normalmente, choram após o nascimento conforme o seu sistema respiratório é introduzido a um novo ambiente. Mas, quando esse menino nasceu, ainda no saco amniótico, foi como se ele ainda estivesse no útero da mãe. Só quando os médicos o tiraram e limparam o fluido do seu sistema que ele começou a chorar – 2 minutos depois comparado aos outros bebês”, relatou o médico Pan em entrevista.

O parto realizado dessa forma diminui o risco de o bebê ser prejudicado pela cesariana (Foto: Reprodução/The Daily Mail)

A criança estava em posição de culatra e possuía também uma condição que o cordão umbilical não se ligava ao centro da placenta. Eles realizaram, então, o parto “en caul“, no qual a palavra “caul” significa “cabeça capacete” ou “véu”, assim, o menino veio ao mundo ainda dentro do saco amniótico.

“Como os nascimentos prematuros estão entre as principais razões para a mortalidade infantil, um parto prematuro permite que o recém-nascido seja entregue dentro da placenta. Isso reduz a perda de umidade na pele, evita rápida perda de temperatura após um parto prematuro e diminui o risco de a criança ser prejudicada durante uma cesariana.”

O nascimento dessa criança fez com que a equipe médica estudassem e aprimorassem a suas habilidades. Assim, desde o ocorrido, o hospital deu à luz a outra 10 crianças utilizando a mesma técnica. Se você for sensível à imagens fortes, não dê play no vídeo abaixo.

Leia também:

Pais relembram surpresa com bebê “alienígena” que nasceu dentro de saco amniótico

Bebê fica 45 minutos dentro de saco amniótico por erro médico e não resiste:“Eu sabia que algo estava errado”