Roséola infantil: o que é, sintomas, como tratar, quais cuidados ter e contágio

Apesar de não ser uma doença grave e ter evolução benigna, é importante ficar de olho na roséola infantil para descartar qualquer outro problema. Conversamos com uma pediatra, que tirou as principais dúvidas sobre o tema e como você pode ajudar o seu filho

Resumo da Notícia

  • A roséola infantil é bastante característica por causa das manchas cor-de-rosa
  • Apesar de ser bastante parecida com o sarampo, ela não causa dor ou coceira
  • Felizmente, a roséola infantil não é grave na maioria dos casos, mas também merece atenção por causa da febre

As pequenas manchas cor-de-rosa na pele do bebê ou criança podem ser um sinal de roséola infantil, por isso, vale ficar de olho! Também conhecida como exantema súbito, a doença contagiosa acontece principalmente com bebês e crianças entre seis meses e dois anos de idade. Podendo também ser confundida com sarampo, é preciso estar atento aos principais sintomas e diferenças entre os dois casos.

-Publicidade-
Conhecida também como exantema súbito, a roséola infantil costuma afetar crianças de seis a dois anos de idade(Foto: Shutterstock)

Para saber tudo sobre a roséola infantil, conversamos com a pediatra e neonatologista pela Sociedade Brasileira de Pediatria, Dra. Thais Bustamente, mãe de Arthur, Raquel e Felipe. Entenda o que causa a exantema súbito, quais são os principais sintomas e ainda o que fazer se seu filho estiver contaminado.

Mas, afinal, o que é roséola infantil?

A roséola infantil, segundo a especialista, é uma doença transmitida pelo vírus herpes 6, considerada de evolução benigna. “A virose é muito comum na primavera e no outono, além de geralmente acometer bebês entre seis meses e dois anos. Mesmo os bem nutridos e sem problemas de baixa imunidade”, alerta.

-Publicidade-

Sintomas de roséola infantil

A doença, bem característica por causa das manchas cor-de-rosa também possui a febre de, aproximadamente, três dias como um sintoma importante. Geralmente, as manchas costumam aparecer depois que a febre passa, nas costas, abdome e peito, podendo ou não ir para as pernas, extremidades de mãos e pés. É provável que as marcas fiquem em torno de até quatro horas.

Como são as manchas de roséola infantil?

As manchas de roséola, diferente de outras doenças contagiosas, não coçam ou causam dor. “Elas se iniciam no pescoço e no tronco, e depois espalham-se para os membros e face. Geralmente, são múltiplas pequenas manchas avermelhadas de 0,5 centímetros, que podem ser planas ou com discreto relevo”, comenta Thais Bustamante.

Como diferenciar a roséola infantil do sarampo

Apesar das manchas serem parecidas, é possível distinguir as situações. No caso da roséola infantil, além de não causar dor e coceira, as marcas cor-de-rosa costumam aparecer depois de alguns dias de febre. “Já o sarampo, vem acompanhado com febre, sintomas respiratórios, conjuntivite e manchas no corpo”, explica a pediatra.

Riscos da roséola infantil

Felizmente, na maioria das vezes, a roséola infantil não é uma doença grave. Apesar de atingir crianças pequenas, ela raramente deixa sequelas e depois desaparece, segundo a médica. “Por isso é considerada uma virose de evolução benigna”. Quando ocorre a febre alta – entre 38ºC e 40ºC – a especialista alerta que é necessário os pais ficarem de olho, “para evitar o risco de convulsões, comuns nessa fase”.

A roséola infantil é bastante característica por causa das manchas cor-de-rosa (Foto: Shutterstock)

Qual o período de transmissão da roséola infantil?

“A roséola é passada de uma pessoa para outra durante o período febril”, explica Thais. Mas, no caso das crianças, o contágio acontece por causa do contato com a saliva de outra pessoa infectada. “Por isso, é importante que os pais mantenham o filho sem contato com outras crianças até que ele se recupere”, recomenda a pediatra. Vale lembrar que apesar de na maioria dos casos não ser uma doença grave, ela é muito transmissível, assim como qualquer outra causa viral.

Qual exame detecta a doença?

Thais Bustamante explica que “não há necessidade de nenhum exame para o diagnóstico, sendo feito apenas através do quadro clínico”. Por isso, caso seu filho apresente alguns dos sintomas, procure um médico para que a causa do problema seja identificado e descartado a possibilidade de outras doenças.

Como tratar roséola infantil

Sempre com o acompanhamento do pediatra, poderá ser receitado medicamentos antitérmicos, para tratar os sintomas da febre, além da recomendação de ingestão de líquidos para a hidratação e também o repouso. Além disso, os pais não devem manter a criança com roséola próxima de outras devido a causa viral.