Saltos de desenvolvimento do bebê: por que você não deve usar esse termo e quais marcos prestar atenção

Muito difundido popularmente, esse nome surgiu a partir de uma pesquisa feita por um casal de cientistas em 1980 observando o desenvolvimento de chimpanzés. No entanto, é preciso ficar atento com algo que simplifica uma coisa tão complexa quanto o desenvolvimento infantil

Resumo da Notícia

  • "Saltos de desenvolvimento" é um termo que tem sido muito usado popularmente, mas é preciso ficar atento com o uso dele
  • Isso porque ele dá a falsa impressão que o desenvolvimento do bebê acontece de uma hora para a outra
  • Quando, na verdade, ele acontece de maneira linear, intensa e acelerada desde que o bebê ainda está na barriga da mãe

Quem nunca ouviu o termo “saltos de desenvolvimento” que atire a primeira pedra. Na teoria, esse nome foi dado aos momentos em que o bebê passa por fases muito rápidas de desenvolvimento neurológico, quase que de um dia para o outro. No entanto, é preciso dar um passo para trás quando pensamos no assunto.

-Publicidade-

“O desenvolvimento das crianças acontece de forma linear. Todo mês tem coisas novas e os bebês vão desenvolvendo muitas habilidades. No começo, mexem os olhos para se comunicar com os pais logo nos primeiros meses. Conseguem pegar objetos com as duas mãos por volta de cinco meses, ficam sentados com seis meses, mais ou menos, andam por volta de um ano e falam com um ano e meio, dois anos”, lista o médico do departamento Materno-Infantil do Hospital Albert Einstein, Claudio Len, colunista da Pais&Filhos e pai de Fernando, Beatriz e Silvia.

O raciocínio do especialista mostra a construção do desenvolvimento infantil: gradativa, linear, constante. A ideia de que as crianças se desenvolvem a partir de saltos, ou seja, um rompante rápido de mudanças que mostrem a evolução neurológica e motora delas, pode ser uma maneira descomplicada de explicar algo extremamente complexo, mas que nem sempre é a melhor saída.

O termo "saltos de desenvolvimento" dão a impressão equivocada que o bebê adquire habilidades de uma hora para outra
O termo “saltos de desenvolvimento” dão a impressão equivocada que o bebê adquire habilidades de uma hora para outra

“Isso é um jeito de simplificar e homogeneizar todo mundo. Cada criança tem sua história, sua família e seu desenvolvimento. São tantos detalhes que eu acredito que a expressão ‘saltos de desenvolvimento’ tenta simplificar uma coisa que é muito complexa. O desenvolvimento infantil é contínuo. Não é uma coisa que tem saltos e picos”, enfatiza dr. Claudio.

Os sintomas dos “saltos de desenvolvimento” e a ciência

Basta uma busca rápida no Google para nos deparamos com as mais diversas explicações do que são os saltos de desenvolvimento de um bebê e como os pais podem identificar os sinais de que o filho está passando por essa fase. Na internet, os sintomas que apontam esse desenvolvimento rápido são: carência, choro constante, desejo de colo, mudanças de sono e alterações no apetite.

O pediatra explica que não existem comprovações científicas de que esses sintomas realmente fazem sentido com o momento de desenvolvimento da criança – até porque, ele reforça, ela se desenvolve de maneira linear e constante, e não de um salto para o outro. “Não é nada disso. Por que o bebê está carente? Porque ele quer chamar os pais e ter contato com eles, não é salto de desenvolvimento. Mas isso acontece o tempo todo, não só em determinada idade. O bebê vai se comunicar de acordo com a habilidade que ele tem no momento: uma criança com dois anos vai chorar e pedir pelos pais. Aos seis meses, vai gritar. Isso não é questão de salto, e sim de comportamento”, explica.

Como surgiram os “saltos de desenvolvimento”

“Esse termo, que vem sendo bastante usado popularmente, é baseado em uma pesquisada realizada por um casal no final da década de 1980”, explica a dra Eliete Faria, neuropediatra, colaboradora voluntária do ambulatório de transtorno do espectro autista PROTEA do Ipq da FMUSP e mãe de Sara e Estela. De acordo com a especialista, os pesquisadores fizeram uma observação de chimpanzés que viviam livremente na África. “Eles perceberam que esses animais passavam por alguns períodos em que havia uma regressão no desenvolvimento, que descreveram ter um comportamento com mais choro e ficar mais próximos da mãe. E, logo depois disso, eles tinham alguma aquisição de desenvolvimento”.

A teoria dos saltos de desenvolvimento é baseada nessa observação feita pelo casal de pesquisadores. Na década de 1990, esse experimento foi refeito com bebês e, dentro da análise inicial, foram identificados dez momentos em que os seres humanos analisados passavam por momentos semelhantes aos dos chimpanzés. “De acordo com as observações, as crianças teriam um período de regressão e depois um avanço no desenvolvimento. Essa teoria, no entanto, precisa ser vista com muita cautela”, alerta a neuropediatra.

Estudos mais recentes, datados do início da última década até hoje em dia, apontam que o desenvolvimento infantil acontece “de forma contínua, intensa e acelerada desde o período intrauterino, e que a criança está em processo de transformação ao longo de toda a primeira infância, principalmente até os três anos, e depois, ao longo de toda a infância de adolescência, esse desenvolvimento ainda está acontecendo”, conta dra. Eliete.

Um exemplo para mostrar que o desenvolvimento acontece de maneira contínua, e não em saltos, é o ato de andar. “A criança não vai de uma hora para outra começar a andar. Se ela não passar os estágios anteriores, se ela não segurar o pescoço firme, não sentar sozinha, eventualmente pode não engatinhar. Isso tudo bem, mas, antes de andar,  ela vai começar a rolar, se levantar com e  sem apoio, e aí dará os primeiros passos com e sem apoio também”, explica dra. Eliete.

O desenvolvimento infantil é complexo e não pode ser simplificado por meio de termos pouco descritivos
O desenvolvimento infantil é complexo e não pode ser simplificado por meio de termos pouco descritivos (Foto: Getty Images)

Os 10 saltos de desenvolvimento do bebê

Ainda segundo a teoria do casal de pesquisadores, os bebês passam por dez saltos de desenvolvimento ao longo do primeiro ano de vida. “Mas, novamente, essa não é uma boa forma de acompanhar o desenvolvimento neurológico do bebê da criança, porque isso não tem uma comprovação científica replicada com artigos que sejam bem fundamentados. É só uma observação clínica de dois pesquisadores, não foram aplicados testes padronizados para a gente saber se isso acontece mesmo. Não é uma forma fiel para o acompanhamento”, explica a neuropediatra.

Uma publicação realizada pela revista Pediatrics em 2022 fez uma revisão de todos os artigos já publicados sobre o assunto e apontou que 75% das crianças atingem uma determinada habilidade com uma idade específica. “Então, se a criança não atingiu aquela habilidade esperada para a idade determinada por essa pesquisa e para essa revisão, a gente pode considerar que ela tem algum atraso no desenvolvimento e que precisa ser melhor avaliada”, acrescenta dra. Eliete.

Cada bebê é diferente e possui seu próprio tempo, não pode existir uma competição entre pais e crianças para ver quem se desenvolve antes. No entanto, é preciso ficar alerta com os marcos de desenvolvimento porque existe, sim, uma data limite para que seu filho conquiste determinadas habilidades. É extremamente importante saber os prazos para que não haja nenhum prejuízo no futuro.

“Temos que realmente respeitar a individualidade de cada criança, mas também precisamos ter muito claro o que é esperado para cada idade. Pensar que cada um tem o seu tempo e não saber o que é esperado pode ser prejudicial. Nos primeiros dois anos de vida, seu filho terá flutuações porque ele está em desenvolvimento contínuo. Ele pode ter dias em que vai chorar mais, que vai querer comer menos, vão ter dias que ela vai dormir pior, mas porque ela está em adaptação”, diz a neuropediatra.

Novos marcos de desenvolvimento do bebê aos 2 meses

  • Acalma o choro quando os pais falam ou dão colo para o bebê
  • Olha para o rosto de outras pessoas
  • Fica feliz quando vê os pais caminhando até ele
  • Sorri quando os pais falam ou sorriem para ele
  • Faz outros sons além de choro
  • Consegue reagir a sons altos
  • Acompanha os pais com o olhar quando há movimentação
  • Consegue olhar para um brinquedo ou objeto por vários segundos
  • Levanta a cabeça quando está deitado com a barriga para baixo
  • Abre um pouco as mãos
  • Movimenta os braços e pernas

Novos marcos de desenvolvimento do bebê aos 4 meses

  • Sorri sozinho para chamar a atenção dos pais
  • Dá sorrisos quando tentam fazer o bebê rir
  • Se movimenta e faz sons para chamar a atenção dos pais
  • Abre a boca quando está com fome ao ver a mamadeira ou seio da mãe
  • Passa a olhar com interesse para os próprias mãos
  • Vocaliza sons de “a” e “o”
  • Emite sons quando os pais se comunicam com ele
  • Vira a cabeça em direção ao som da voz dos pais
  • Mantém a cabeça firme e sem apoio quando os pais pegam o bebê no colo
  • Segura brinquedos nas mãos quando estes são ofertados para ele e consegue balançar o objeto
  • Coloca as mãos na boca
  • Empurra o corpo com os braços e cotovelos quando está deitado de bruços
Para que o bebê consiga andar sozinho e sem apoios, ele precisa passar por um longo desenvolvimento antes, que é contínuo e intenso
Para que o bebê consiga andar sozinho e sem apoios, ele precisa passar por um longo desenvolvimento antes, que é contínuo e intenso (Foto: Getty Images)

Novos marcos de desenvolvimento do bebê aos 6 meses

  • Reconhece pessoas familiares
  • Dá gargalhadas
  • Se reconhece quando é posto na frente de um espelho
  • Explora objetos com a boca
  • Pega brinquedos e objetos que despertam interesse no bebê
  • Quando não quer mais comer, fecha a boca demonstrando que perdeu o interesse no alimento
  • Coloca a língua para fora e faz diversos sons
  • Grita ou faz barulhos mais altos e intensos
  • Consegue rolar e ficar de barriga para cima quando é posto deitado de bruços
  • Empurra os braços até que eles fiquem retos quando está deitado de barriga para baixo
  • Usa as mãos para se apoiar e senta

Novos marcos de desenvolvimento do bebê aos 9 meses

  • Sente medo e fica tímido quando está perto de estranhos
  • Tem expressões faciais bem marcadas demonstrando suas emoções
  • Procura os pais quando ouve eles chamando pelo seu nome
  • Chora, procura ou tem outra reação quando vê os pais saindo
  • Sorri durante brincadeiras de esconde-esconde
  • Balbucia sílabas, como “mamama”, e faz vários sons diferentes
  • Levanta os braços demonstrando que quer ser pego no colo
  • Procura brinquedos e outros objetos que não estão a vista
  • Bate objetos um contra o outro
  • Consegue se sentar sozinho
  • Passa brinquedos e objetos de uma mão para a outra
  • Senta sem precisar de apoio
  • Usa os dedos para pegar comida e levar até a boca

Novos marcos de desenvolvimento do bebê com 1 ano

  • Brinca com os pais, interage e bate palmas
  • Dá “tchau” com as mãos
  • Chama os pais de “mama” ou outro nome especial
  • Entende quando os pais dizem “não” para algo
  • Consegue colocar objetos dentro de um recipiente (caixas, por exemplo)
  • Procura por objetos e brinquedos que vê os pais escondendo
  • Pega apoio para ficar de pé
  • Anda com apoio
  • Consegue beber em um copo sem tampa enquanto os pais seguram o copo
  • Pega objetos e pedaços de comida e segura-os entre o polegar e o dedo indicador