Seu filho se recusa a usar a colher? Veja o que fazer!

É completamente normal que bebês de 9 a 11 meses não queiram mais ser alimentados da forma que eram antes. Para você não se desesperar, aqui vão algumas dicas de como agir nessa fase

Resumo da Notícia

  • Os bebês de 9 a 11 meses tendem a recusar serem alimentados por colheres
  • A recusa é absolutamente normal
  • Veja dicas do que fazer caso seu filho se recuse a utilizar a colher
Seu filho se recusa a usar a colher? Veja o que fazer! (Foto: Getty Images)

“Socorro! Meu bebê parou de comer!” Essa é uma abertura comum de muitos e-mails e telefonemas que Natalia Stasenko recebe em seu escritório. A nutricionista pediátrica é mãe de três filhos, trabalha em Londres e Nova York, é responsável pelo programa de suporte online individual para pais a respeito da alimentação e é autora dos livros Real Baby Food. Por receber muitos pedidos de ajuda, Natalia resolveu reunir algumas situações muito recorrentes no dia-a-dia dos pais de bebês e dicas para te ajudar a solucioná-las. Confira:

-Publicidade-

Recusar a colher é normal.

“Recusar uma colher é realmente um marco importante – não menos significativo que o primeiro dente ou o primeiro passo. A maioria dos bebês passa por esse estágio de desenvolvimento apropriado em torno de 9 a 11 meses, quando não deseja mais desempenhar um papel passivo na alimentação. Eles querem fazer tudo sozinhos! Obviamente, todas as crianças desenvolvem-se em ritmos diferentes e alguns bebês ficam felizes ao serem alimentados com uma colher por mais tempo, especialmente aqueles que nasceram prematuramente ou têm atrasos motores ou orais. Mas uma grande maioria dos bebês se rebela contra a colher pouco antes de virar uma”, brinca.

Mas é assustador (para os pais).

“Como pais, escolhemos controlar muitas áreas da vida de nossos filhos. Comer não é exceção. Quando permitimos que os bebês se alimentem mais, talvez precisemos abrir mão do poder que temos sobre o que e quanto eles estão comendo. Tememos que nosso bebê coma pouco do que oferecemos, escolha alimentos menos nutritivos ou decida não comer nada.

-Publicidade-

“Se assistir a um jantar mal tocado lhe dá pesadelos, é encorajador saber que pesquisas mostram que crianças pequenas são ótimas em auto-regulação. E se o equilíbrio nutricional é sua preocupação, tente gravar tudo o que seu bebê comer durante uma semana. Provavelmente, você verá uma ingestão decente de todos os grupos de alimentos (desde que você ofereça uma variedade saudável, é claro).

“Como alguém que costuma trabalhar com pais de “comedores de problemas”, sei que pode ser especialmente difícil confiar no seu filho para comer se seu bebê é um comedor cauteloso, tem um diagnóstico clínico, exibe fortes preferências alimentares ou é menor do que a maioria bebês da idade dele. É por isso que, se sua intuição diz que seu caso é mais complexo, sempre converse com seu médico ou nutricionista para descartar problemas subjacentes que podem afetar a alimentação do seu filho”, aconselha.

Esteja preparado.

  • Se o seu bebê estiver chegando aos 9 meses, prepare-se para esse marco e trabalhe na criação do repertório de alimentos que serão comidos com as mãos e habilidades com os utensílios para que ele receba calorias e nutrição suficientes quando a colher cair no chão. A maioria dos bebês está pronta para comer petiscos aos 6 meses.
  • Evite técnicas de pressão sutis, como distrair o bebê durante as refeições. Brincar de”avião”, usar TV ou até livros para colocar o número necessário de colheres na boca do bebê provavelmente contribuirá para a aversão à colher, tornará as refeições mais tensas e ensinará seu filho a ignorar os sinais de saciedade.
  •  Esteja preparado para a bagunça e mais limpeza do que o habitual, mas você será recompensado por agradáveis ​​refeições e um bebê que pode fazer muito sozinho!
  • Confie no seu bebê para escolher quanto e o que comer, mesmo que pareça que ele precise de sua ajuda. Obviamente, não há nada errado em alimentar seu bebê com uma colher de vez em quando; apenas certifique-se de que não estraga a diversão das refeições para ninguém.
  • Estabeleça uma estrutura para comer, para que seu bebê tenha a oportunidade de se sentar e comer alguma coisa a cada 2-3 horas durante o dia. Dessa forma, mesmo que ela recuse completamente uma das refeições, outra chance de comer estará logo ali. Observe que crianças e pré-escolares não precisam comer com tanta frequência e podem esperar de 3 a 4 horas entre as refeições e os lanches.
  • Entender mal o marco normal da recusa em colher pode levar a grandes lutas pela alimentação. Mas, se nós, pais, podemos assumir a liderança do nosso bebê e sermos mais responsivos e confiantes em nosso relacionamento alimentar, isso não é necessário.

-Publicidade-