Um bebê e mais três pessoas morrem congeladas na fronteira entre Canadá e Estados Unidos

Autoridades acreditam que traficantes de pessoas estejam por trás da tragédia

Resumo da Notícia

  • Quatro pessoas, incluindo um bebê, foram encontradas mortas no Canadá, em uma região que faz fronteira com os Estados Unidos;
  • Os oficiais afirmaram que há a possibilidade das vítimas terem sido reféns de traficantes de pessoas;
  • As pessoas ainda não foram identificadas e o caso segue sob investigação.

Nesta quarta-feira, 19 de janeiro, quatro pessoas, incluindo um bebê, morreram congeladas no Canadá, em uma região próxima à fronteira com os Estados Unidos. Segundo informações da polícia da região, grupos envolvidos com o tráfico de pessoas podem ter contribuído para a tragédia.

-Publicidade-

As informações concedidas ao portal G1 da polícia canadense afirmam que os oficiais encontraram os corpos perto de uma pequena comunidade agrícola depois que agentes norte-americanos prenderam um grupo que veio do país vizinho. Durante a abordagem, foram encontradas evidências de que as vítimas estavam tentado fazer o mesmo trajeto que os detidos.

As quatro pessoas mortas (um homem, uma mulher, um adolescente e um bebê) foram encontradas nesta quarta-feira (19), a cerca de 12 metros da fronteira com Minnesota,. As primeiras indicações são de que elas teriam morrido de frio após uma queda de temperatura para – 35°C.

As vítimas teriam sido reféns de traficantes de pessoas, segundo informações
As vítimas teriam sido reféns de traficantes de pessoas, segundo informações (Foto: Getty Images)

“Estamos muito preocupados que esta tentativa de travessia possa ter sido facilitada de alguma forma, e que esses indivíduos foram deixados sozinhos no meio de uma nevasca”, disse a comissária assistente da Polícia Montada do Canadá, Jane MacLatchy, em entrevista coletiva em Winnipeg, Manitoba.

“Essas vítimas enfrentaram não apenas o clima frio, mas também campos sem fim, grandes nevascas e escuridão total”, acrescentou. As vítimas ainda não foram identificadas e o caso segue sob investigação das autoridades.