A importância do carinho

Abraço, beijo, colo e carinho nunca são demais!

(Foto: Getty Images)

Neste século 21 cujo cenário se transforma a cada instante e no qual a depressão e a ansiedade subiram para o topo de doenças mais comuns no mundo, dois fatores merecem nossa atenção especial se quisermos criar crianças que prosperem na vida pessoal e profissional: a criatividade e o equilíbrio emocional. A criança que recebe carinho tem mais chances de se manter criativa e saudável emocionalmente.

“Meu coração, não sei porque, bate feliz, quando te vê. E os meus olhos ficam sorrindo…”

Quem nunca ouviu essa música de Pixinguinha e João de Barros? Uma delícia, né? Se por acaso você não a reconheceu pela letra, clica aqui que você vai ouvi-la na belíssima versão interpretada por Marisa Monte e Paulinho da Viola. Para falar da importância do carinho na primeira infância, eu não poderia deixar de citar essa música, ainda que sua letra esteja se referindo, provavelmente, a história de um possível amor entre duas pessoas adultas.

Quando eu era pequena, muitas vezes a cantei na escola, junto aos coleguinhas, nas festividades em comemoração ao Dia das Mães. E talvez seja por isso que quando eu a escuto lembro, imediatamente, de um abraço bem carinhoso que ela sempre me dava.

No dicionário, a palavra CARINHO é traduzida como uma “manifestação delicada, que pode ou não envolver contato físico, de apreço, amor ou meiguice”. Ou seja, é aquele abraço gostoso, calmo e demorado. Aquele cafuné na cabeça, aquele sorriso sincero, aquele olho no olho que troca brilhos no ar. Aquele andar de mãos dadas, aquele beijinho simples na mão, na testa, na bochecha. Carinho também podem ser palavras doces ditas com amor e cuidado, como “estou feliz de estar com você agora”, “você é muito especial” ou mais simples como um “eu te adoro”. Quando recebemos carinho nos sentimos acolhidos e, por isso mesmo, protegidos e seguros. Para criança entre seus 0 e 6 anos (fase denominada pelos especialistas de “primeira infância”) o efeito dessa proteção desencadeia uma série de conexões importantes entre seus neurônios, o que estará diretamente relacionado ao desenvolvimento de sua autoestima, autoconfiança e autossegurança.

(Foto: Getty Images)

Ao receber carinho as crianças iniciam ou intensificam a formação de vínculos afetivos com a pessoa que o ofertou. Vindo de seus cuidadores, ou seja, aqueles adultos com quem passam a maior parte do tempo, esta conexão tem um valor inestimável: “A maior proteção que o cérebro de uma criança tem contra os efeitos de violência física ou verbal, privações e até falta de carinho é o vínculo afetivo com seus cuidadores. Quando esse vínculo é falho, abrem-se brechas na barreira psicológica contra as hostilidades”. Esta é uma fala de James Leckman, médico e pesquisador da Universidade Yale, nos Estados Unidos. (Fonte: Folheto Aposte na Primeira Infância)

Em resumo, o carinho é importante para proteger a mente das crianças contra os abalos emocionais mais fortes e até mesmo contra alguns bloqueios da criatividade. Ele é uma peça fundamental para manter as crianças criativas e emocionalmente equilibradas. Criativas porque, com autoestima e autoconfiança as crianças são capazes de expressar e desenvolver suas ideias, mesmo sem serem completamente aceitas socialmente. Vale lembrar que as maiores invenções e saltos criativos da humanidade vieram de ideias a princípio malucas, mas que depois se confirmaram superinovadoras. Para inovar é preciso ter coragem e isso requer autoestima e autoconfiança. E emocionalmente saudáveis porque, com vínculos afetivos bem construídos a criança sabe que tem um porto seguro para lhe amparar. Assim, mesmo que a vida lhe surpreenda e, eventualmente, ela se deprima, sua recuperação será facilitada e acelerada pelo apoio que sente através deste vínculos. Este é um dado apresentado no relatório mundial de saúde mental da OMS em 2018.

Por isso, meu texto de hoje é um convite para que você priorize mais os momentos de carinho com seu filho e as crianças da sua família. Abrace, cheire, beije, acaricie. Dê colo, acolha, converse olhando nos olhos. Sorria! Esta sim é uma receita infalível para você educar seu filho para ser um adulto maravilhoso, feliz e realizado!

Leia também

Como tornar leve a adaptação escolar? 

Quando as crianças devem ir para a escola?

Entenda a importância de estar presente na vida do seu filho