Semana Mundial do Brincar: brincadeira é importante, mas não precisa se cobrar demais

Levanta a mão aí quem não gosta de brincar com o filho!

Para uma boa brincadeira acontecer entre você e seu filho, você só precisa estar ali: presente e atenta (Foto: iStock)

Levanta a mão aí quem não gosta de brincar com o filho!

Você sabia que isso é muito comum e que isso não faz de você uma mãe ou um pai pior?

É sério, está tudo bem!

Brincar é mesmo muuuito importante para a criança além de ser uma baita oportunidade de nutrir a criatividade dela. Mas não gostar de brincar com seu filho não precisa ser um grande problema e, nem muito menos, uma culpa!

A questão é que, na maioria das vezes, a gente se cobra muito sobre esse “brincar”. Mais do que deveria. E é essa cobrança que sobrecarrega, pesa e faz tudo ficar ainda mais difícil.

Às vezes a gente acha que, para brincar, tem que ser ultra criativo, sugerir mil ideias e fazer mil coisas diferentes. Aí, se você não se acha muito criativo, pronto! Essa se torna uma barreira para você NÃO brincar com seu filho.

Ou então, a gente acha que precisa ter muita disposição. Que tem que correr, pular, dançar. E, se você é mais quIeto e não gosta muito de exercício físico, pronto! Essa acaba sendo outra barreira pra você.

Também tem gente que acha que é preciso muito tempo para uma boa brincadeira. E como tempo, hoje, é uma moeda bem escassa, então temos aí mais outra barreira para você NÃO brincar com seu filho.

E se eu te contar que, para brincar, você não precisa ser criativo, nem gastar muita energia e nem investir muito tempo? Verdade!

Para uma boa brincadeira acontecer entre você e seu filho, você só precisa estar ali: presente e atenta!

Basta que você sente do lado dele e esteja disponível.

Você pode só olhar e dizer palavras de encorajamento e estímulo para que ele continue brincando.

Você pode deixar que ele escolha a brincadeira, sem você ter que dar ideia nenhuma!

Você pode fazer isso por só 15 minutos por semana e já estará fazendo algo muito bom para a relação de vocês.

Abra o seu coração para o seu filho e para o exercício de brincar.

Se a criança lhe solicitar algo que você não goste ou não se sinta bem fazendo, revele isso a ela. Falar do que a gente não gosta e das nossas limitações nos aproxima ainda mais e fortalece o vínculo adulto-criança.

Olhe para o Brincar como um momento simples, de conexão, de proximidade – e não de exigências. O “brincar” pode até ser um desafio bacana entre vocês: “encontrar algo que ambos gostam de fazer”.

Criança não só adora brincar como TEM QUE brincar.

O seu brincar com ela não precisa ser igual ao brincar dela com outra criança.

Respeite sua essência, seus próprios jeitos e gostos e se mostre na sua verdade para seu filho. Mais importante que o brincar é a sua PRESENÇA!

Essa semana comemoramos a #SemanaMundialDoBrincar2019 e no meu canal do instagram estarei oferecendo dicas criativas para tornar o brincar ainda mais leve especialmente para os adultos que NÃO GOSTAM de brincar. Acompanhe-me no @biancasollero e me manda um direct para receber uma dica especial e exclusiva para você, leitor da Pais&Filhos.

Um abraço e até semana que vem!

Leia também:

Criatividade: descubra diferentes formas de desenvolver essa habilidade no seu filho

Entenda porque seu filho terá mais sucesso no futuro se ele for criativo

Criatividade na infância: o mundo mudou, e agora?