Amamentação e o retorno ao trabalho: como conciliar essa nova fase?

Acima de tudo, é necessário planejamento. O apoio ao aleitamento materno traz benefícios para todos os envolvidos

É importante apoiar a amamentação e isso, claro, envolve as empresas também. Mulheres que amamentam os bebês trazem benefícios para si, para o filho e, até para a própria atuação na rotina de trabalho.

É necessário planejamento para manter a amamentação após o retorno para o trabalho (Foto: Shutterstock)

Comentários

  • “Contratei uma consultora e foi essencial pra me apoiar nesse processo. Até a produção de leite diminuiu tamanha a ansiedade.”, Katherine Sorroche, mãe de Alice
  • “Voltei ao trabalho após 3 meses de licença e tirava leite a cada 4 horas. Em casa, eu amamentava.”, Débora Ribeiro, mãe de Carolina
  • “Depois de retornar ao trabalho, continuei tirando leite e amamentei com complemento de fórmula até 1 ano e 2 meses.”, Taís Silva, mãe de Cristiano

Explicações

Hoje a maioria das mulheres que amamenta trabalha fora de casa, e os estudos científicos nos trazem algumas considerações sobre isso: somente a intenção de retornar ao trabalho, por si só, pode afetar o início da amamentação; a duração do aleitamento materno é impactada pelo regresso da mulher ao mercado de trabalho; muitas mulheres não enxergam o retorno ao trabalho e aleitamento materno como compatíveis; a duração da licença-maternidade afeta significativamente o aleitamento.

Apoiar o aleitamento materno traz benefícios não só para a saúde da mãe (menor incidência de câncer de mama e ovário, menor risco de desenvolvimento de síndrome metabólica, diabetes, artrite reumatoide entre outros) e do bebê (excelentes resultados em saúde, crescimento e desenvolvimento, redução significativa de infecções agudas e crônicas, maior QI, etc.), mas para as empresas (menores taxas de absenteísmo, menores despesas em saúde, maior satisfação profissional).

Para tornar o retorno ao trabalho e o aleitamento possível é recomendado planejamento prévio, alguns utensílios e cuidados. Você vai precisar de uma bomba extratora de leite manual ou elétrica, lembrando que ordenhar com as mãos é também uma possibilidade. O volume ordenhado nas primeiras tentativas pode não ser o esperado, ordenha é treino!

Outra questão é a escolha do método a ser oferecido ao bebê, que pode depender conforme a idade. Lembre-se que bicos artificiais levam à confusão de bicos. Deve-se treinar o cuidador e o bebê com o método escolhido. Ordenha, armazenamento, tempo de validade, método para descongelar e aquecer são muito importantes no processo. Com planejamento, escolha de utensílios adequados e informação é possível conciliar a amamentação e o retorno ao trabalho!