Relactação: esclareça todas as dúvidas sobre o processo

O procedimento é muito comum em bebês prematuros

 

(Foto: Getty Images)

RELACTAÇÃO

  • “Minha filha não ganhava peso e fui orientada a tentar relactação. Foi difícil, mas menos doloroso psicologicamente do que substituir o aleitamento materno pela fórmula. Depois de um mês conseguimos fazer a amamentação exclusiva”, SAMADÍ CONSTÂNCIO, mãe de Ana Degrande.
  • “Meu leite demorou a descer e comecei a fazer o processo ainda na maternidade. Foi ótimo, porque ela pegou o jeito e com o tempo fui relaxando. Em menos de 2 meses ela conseguiu mamar. Agradeço por ter passado 3 horas no banco de leite”, FABIANA CAZETTA, mãe de Valentina.
  • “Precisei fazer a relactação e foi emocionalmente bem cansativo. Deu trabalho, mas apesar de não ter aumentado a produção suficiente para fazer aleitamento materno exclusivo, valeu a pena! Me permitiu amamentar”, CECÍLIA GIANESI, mãe de Natália.

Relactação ou translactação tem o intuito de realizar uma transição entre a alimentação por sonda para via oral, e é muito comum em bebês prematuros, embora seja amplamente utilizada para outros fins. Chamamos de relactação quando o leite oferecido é fórmula ou banco de leite, e translactação quando é o leite materno ordenhado.Em ambos, através de uma sonda, o bebê suga o seio materno e ao mesmo tempo faz a sucção da sonda, e desta maneira ingere ambos os leites ao mesmo tempo.

Pode ser utilizado também para aumentar a produção de leite, pois mesmo que o bebê seja complementado, o fará estimulando as mamas, o que aumentará a produção. Outra possibilidade é quando o bebê tem dificuldade em pegar ou permanecer na mama.

Ao abocanhar a mama e ingerir um bom fluxo de leite, ele entende que vale a pena ficar por ali, anima-se e entra em um ciclo de estímulo, aumentando a produção de leite, ingerindo o materno e o da sonda ao mesmo tempo, e assim ganhando muitos benefícios com o uso de apenas um método. Vale ressaltar que muitas vezes complementar a amamentação do bebê não necessariamente é se utilizar de fórmulas lácteas.

O uso da bomba extratora aumenta a produção de leite, que oferecido através da translactação estimula a produção, ao mesmo tempo que se evita o uso da mamadeira, que predispõe a confusão de bicos e desmame precoce.

Leia também:

Amamentação sem segredo: confira perguntas respondidas por uma especialista

Cesárea ou normal: o tipo de parto influencia na amamentação?

Cesárea ou normal: o tipo de parto influencia na amamentação?